Jornal Tribuna Sisaleira

Jornal Tribuna Sisaleira

Muitas Chuvas deixam Coité com problemas de Infraestrutura.

Ruas de Coité são transformadas em riachos com forte temporal da noite desta segunda-feira. Alguns vídeos de leitores que registraram a situação da Praça da Matriz onde acontece o novenário de Nossa Senhora da Conceição no mesmo espaço o nível da água nas barracas montadas.

Fundos do escritório de advocacia Ernesto Reyes na Avenida Getúlio Vargas
Um forte temporal com duração de mais de uma hora caiu em Conceição do Coité na noite desta segunda-feira, 03, e foi suficiente para transformar ruas em riachos pela forte correnteza.
Os vídeos de leitores que registraram a situação da Praça da Matriz onde acontece o novenário de Nossa Senhora da Conceição no mesmo espaço o nível da água nas barracas montadas.
A Brigada Voluntária Anjos da Vida cuidaram de ‘prestar o socorro’ a sede da unidade que foi invadida pelas águas e por último, o registro da força da água descendo pela Avenida Getúlio Vargas sentido Bairro do Açudinho. Veja na sequencia
A expectativa é de que haja bastante estrago causado pelas águas nas áreas mais baixas da cidade.
Estava previsto pelos institutos de meteorologia as chuvas para esta segunda-feira, acompanhada de raios e trovões e que deverá acontecer o mesmo nesta terça.

Coité – Nada resiste a força das águas. Prefeitura executa obras em estradas e ruas, mas não suportam as fortes correntezas.

Sempre que ocorrem fortes temporais em Conceição do Coité a população imagina logo como ficou a parte mais baixa dos bairros Açudinho e Olhos D’água e Barreiros e Pampulha, cujas correntezas passam tão forte que fazem lembrar dois riachos que existiram antes da fundação da cidade.
O Calila Noticias foi conferir na manhãzinha desta terça-feira, 04, a situação após o forte temporal que durou mais de uma hora na noite de ontem.

Realidade atual registrada da estrada da Lajinha | Foto: Raimundo Mascarenhas
A primeira parada foi logo no inicio da estrada de areia que liga o centro da cidade, mas precisamente do Bairro Olhos D’água saída para o Açude de Itarandi, povoados Laginha e Boa Vista. No local que sempre ficou danificado e não dando passagem para veículos, voltou a sofrer a mesma situação, mesmo após obra da Prefeitura que colocou valas e manilhas capazes de receberem maiores volumes d’água, mas o que se vê agora é que foi um trabalho em vão.
Não é a primeira vez que o trecho fica desta forma | Foto: Raimundo Mascarenhas
Veja com mais detalhe neste vídeo
Publicidade
Rua Leopoldino Ramos – Bairro dos Barreiros

Pela ‘centésima vez’ foi realizado serviço nesta rua, parecia ser o mais caprichado, mas… | Foto: Raimundo Mascarenhas
Nossa equipe visitou também a parte que sempre foi considerada a mais critica em períodos de fortes temporais, a Rua Leopoldino Ramos a partir do Posto Boaventura, verdadeiro rio desce com muita força, passando pela frente do Colégio Durval da Silva Pinto e a correnteza dobra a esquina do inicio do Bairro dos Barreiros e pela Rua Anselmo José da Silva no sentido Bairro da Pampulha.
Assim ficou a Rua Anselmo José da Silva – moradores deste local ficou também sem água encanada | Foto: Raimundo Mascarenhas
Nesta área a Prefeitura também executou um serviço que segundo os moradores durou de seis a oito meses, mas ‘não passou no teste’. O cenário é praticamente o mesmo de antes de ter feito o serviço.
A população leiga no assunto ao perceber a presença do Calila dizia que enquanto não for feito uma reforçada galeria ainda na parte alta da rua para controlar a descida das águas de forma subterrâneas não resolverá o problemas de décadas.
Galego disse que convive com esta realidades desde os 7 anos | Foto: Raimundo Mascarenhas
O morador conhecido por Galego Fogueteiro, 52 anos, disse que mora na rua desde os 7 e sempre foi passagem de toda água que descia da parte alta da cidade e com o passar do tempo vieram as construções “mas ela (água) precisa passar como sempre, eu era menino e aqui tinha uma especie de cachoeira e a gente tomava banho de água cristalina, não tinha sujeira na cidade, e quando chovia no dia da feira livre a gente pegava as frutas que as águas traziam”, lembra Galego.
Quando nossa equipe deixava o local, ouviu de um morador que foram deixados dois buracos abertos e com a chuva forte encheram, transbordaram e levantaram o calcamento.” Se não tivessem deixado dois buracos abertos a água passava por cima e seguia”,garante o morador.

Coité – ‘Fenômeno da poluição’ se forma após forte temporal

O local serve como passagem de todo esgotamento sanitário, mas com a força das águas produziu uma espuma semelhante a nuvem
Nuvem formada por espuma que sai da manilha sob a rodovia, cuja correnteza deságua no açude de Itarandi chegou a cerca de 10 metros de altura | Foto: Raimundo Mascarenhas
Quem passou nas primeiras horas da manhã desta terça-feira, 04, pela BA 411 trecho do Tanque do Governo que liga a sede de Conceição do Coité ao Parque de Exposições, Distrito de Salgadália, Povoado de Goiabeira, deparou com algo exuberante com a formação de uma grande nuvem produzida pela força da água que saía de uma manilha na direção do Açude de Itarandi.
O problema é que aquela nuvem era supostamente formada pela poluição, pois, exala um forte odor característico de esgotamento sanitário e como toda população coiteense já sabe, é ali que é despejado todo esgoto da cidade.
Em dezembro de 2013 o Calila registrou as chuvas na cidade e na ocasião foi formada esse tipo de nuvem (veja)