Tucano - BA

Tudo Sobre as Manifestações dos atos em apoio ao governo Bolsonaro

Bolsonaro diz que manifestação é ‘recado àqueles que teimam com velhas práticas’. O presidente Jair Bolsonaro disse na manhã deste domingo (26) que as manifestações pró-governo em várias cidades pelo país são um “recado” aos que “teimam com velhas práticas” e, segundo afirmou, não permitem que o “povo se liberte”. As declarações foram dadas durante culto na Igreja Atitude, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. Na cerimônia, o presidente subiu ao altar ao lado da mulher, a primeira-dama Michelle Bolsonaro, para receber a bênção do pastor. Bolsonaro viajou para o Rio na sexta-feira em razão do casamento de um dos filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ). Por volta das 14h30 ele e a primeira-dama deixaram a igreja. Ele tinha embarque para Brasília previsto para a tarde deste domingo. Em um pronunciamento durante o culto, o presidente disse que a manifestação era “espontânea”, tinha pauta definida e respeitou leis e instituições. “Hoje é um dia em que o povo está indo às ruas. Não para defender um presidente, um político ou quem quer que seja. Está indo para defender o futuro desta nação. Uma manifestação espontânea. Com uma pauta definida, com respeito às leis e às instituições, mas com o propósito de dar recado àqueles que teimam com velhas práticas não deixar que esse povo se liberte”, disse o presidente. Aos fieis da igreja, Bolsonaro afirmou que, pela primeira vez, um presidente eleito está cumprindo as promessas de campanha. “Somente com a força de vocês nós poderemos governar”, declarou.

Ministros do STF e membros da cúpula do Congresso minimizam atos pró-BolsonaroAlvos de alguns grupos que compuseram as manifestações pró-governo, nesse domingo (26), ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e integrantes da cúpula do Congresso Nacional acreditam que os atos não foram significativos a ponto de mudar a conjuntura política do Brasil nem pressionar os poderes. Para eles, a adesão ao protesto foi menor do que a esperada. Segundo informações do blog Painel, da Folha de S. Paulo, eles creditam o maior engajamento no ato à figura do ministro Sergio Moro. As manifestações tinham o propósito de chamar a atenção dos parlamentares para a aprovação do pacote do ministro, a reforma da Previdência e a reforma administrativa.

Otto defende que atos pró-Bolsonaro mostram sintoma de fraqueza do governo.O senador Otto Alencar (PSD) declarou neste domingo (26) que as manifestações pró-reformas e a favor de Jair Bolsonaro podem ter mostrado um “sintoma de fraqueza do governo”. O parlamentar defendeu ainda que os atos em todo o país não devem exercer pressão no Congresso pela aprovação de medidas de interesse do presidente. “Ninguém chega na Câmara ou no Senado sem ter a coragem ou altivez para resistir a isso. É uma bobagem de Bolsonaro achar que alguém vai mudar sua concepção ideológica ou política por pressão da rua”, ponderou Otto. Em sua maioria, as bandeiras levantadas neste domingo foram em favor da reforma da Previdência e a manutenção do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) no Ministério de Justiça pelo Senado. Para justificar o argumento, o senador lembrou da pressão que sofreu nas ruas para votar contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). “Me queimaram na Barra como judas. Se fosse por isso, não teria votado contra o impeachment. Não vou me dobrar para quem quer se seja”, relembrou. Otto ainda questionou a necessidade de manifestações em favor de um presidente eleito. “Ato a favor do governo, Bolsonaro e os seus seguidores Instagram”, arguiu. “O governo precisar de uma manifestação para se sustentar mostra um sintoma de fraqueza”, completou. 



Manifestantes realizam atos em cidades da Bahia em apoio ao governo BolsonaroAtos em apoio ao governo do presidente Jair Bolsonaro foram realizados neste domingo (26) em 156 cidades de 26 estados, mais o Distrito Federal, segundo balanço do G1. Na Bahia, houve manifestações em Salvador, Camaçari, na região metropolitana, Feira de Santana, a 100 km da capital, Itabuna, no sul do estado, Juazeiro, na região norte, Vitória da Conquista, no sudoeste, e nas cidades de Porto Seguro e Eunápolis, na região sul, além de Luís Eduardo Magalhães, no oeste. Em Salvador, o ato teve início por volta das 10h, no Farol da Barra, um dos principais pontos turísticos, onde houve a concentração. Depois, guiados por um trio elétrico, o grupo seguiu em caminhada em direção ao Morro do Cristo, cerca de 1,2 km depois do ponto de largada. No ato, os manifestantes cantam o hino nacional e gritam palavras de ordem, com pedidos de “avança, Brasil”. Os manifestantes começaram a se dispersar por volta das 11h40. Nem a organização e nem a Polícia Militar divulgaram estimativa de público. Segundo os organizadores, a manifestação também foi em apoio à reforma da Previdência e em apoio à aprovação do pacote anticrime proposto pelo ministro Sérgio Moro. Enviada ao Congresso em fevereiro deste ano pelo presidente Bolsonaro, a reforma da Previdência está em tramitação em comissão especial na Câmara dos Deputados. O texto já passou pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Já o projeto anticrime, que propõe mudanças na legislação penal e processual penal para reforçar o combate ao crime organizado, à corrupção e à violência, foi apresentado ao Congresso em fevereiro.