COITÉ, BARROCAS, SANTALUZ, TEOFILANDIA E TUCANO DÃO AUMENTO AO PROFESSOR DE 33,24 INTEGRAL, ARACI PARCELOU EM 4X DE 8,31%.

Prefeit@s da região, do território vem dando exemplo e cumprindo com os direitos dos servidores em especial os da cidade de Conceição do Coité, Barrocas, Santaluz, Teofilândia e Tucano que já garantiram o pagamento dos 33,24%. Menos Araci que parcelou em 4 x de 8,31% (LEI Nº 381 de 28 de Março de 2022).

file:///C:/Users/kuiz/Downloads/PREFEITURAMUNICIPALDEARACIESTADODABAHIADIARIOOFICIALDOMUNICIPIOANO2022LEIN381DE28DEMARODE2022.pdf

Na tarde desta segunda-feira (28), o Prefeito de Teofilândia, Higo Moura, anunciou a concessão de reajuste salarial de 33,24% aos professores da rede municipal. Os demais servidores da educação receberão reajuste conforme o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). A notícia do reajuste dada pelo Prefeito em Assembleia realizada com a APLB, acontece depois de alguns anos de perdas e de desvalorização vividos pelos professores do município.

Em Tucano, Ricardo Maia, na Jornada Pedagógica anunciou e deu a garantia do pagamento dos 33%.

O prefeito Ricardo Maia anunciou, na noite de terça-feira (8), durante a abertura da Jornada Pedagógica 2022, o reajuste em 33% no piso salário dos professores.“Nós, enquanto gestão, sempre tivemos um olhar especial para todos vocês. Sempre tivemos nos desdobrando em todas as nossas metas para conseguir promover o melhor ambiente e uma melhor condição de trabalho. Por isso, anuncio o reajuste de 33% e que teremos salários em dia durante a nossa gestão”, ressaltou.

A prefeitura de Santaluz, pagou o salário de fevereiro dos servidores públicos municipais antecipado e garantiu o aumento de 33,24% anunciado pelo Governo Federal. 

Cardeal da Silva, o Prefeito já tinha protocolado um projeto para autorizar repasse de 60% das verbas dos precatórios do FUNDEF aos professores e agora realiza o pagamento deste direito.

Prefeito de Barrocas, Jai, sancionou em 11 de Março de 2022 a Lei que autoriza o reajuste salarial do piso nacional dos professores. Na oportunidade, agradeço ao presidente Antônio da Loja Lima e os demais vereadores que aprovaram esse tão importante projeto por unanimidade, fazendo 3 sessões em um único dia, nos dando a possibilidade de fazer a folha do dia 20 com o reajuste do piso e o retroativo à fevereiro. Agradeço também a todos que de fato contribuíram com coerência em defesa dos direitos dos professores. Fiz o que meu coração e o que as pessoas de boa fé estavam me orientando. Vamos com Deus!
Marcelo Araújo, prefeito do município de Conceição do Coité, localizada no Território do Sisal da Bahia, anunciou na ultima quarta-feira (09), que sancionou o Projeto de Lei que concede aos  professores do ensino municipal o reajuste de cerca de 33,24 %, atendendo ao piso estabelecido pelo Governo Federal. 
"Quero dizer a vocês que é um grande prazer sancionar hoje o reajuste dos professores". declarou ele. O prefeito além de anunciar o cumprimento do piso nacional ele também anunciou que aumentará o salario dos servidores municipais, eles não poderão receber abaixo de R$ 1.212. O projeto da correção do piso dos servidores põe fim na conhecida súmula 15, adotada segundo o prefeito, na gestão anterior. O projeto foi enviado para a Câmara e o mesmo foi votado por unanimidade
O aumento federal de 33% é direito liquido e certo na sua totalidade e a gestora mentindo e escondendo a verdade dos servidores a prefeita junto com o sindicato querem calotear e parcelar o aumento. Após a reunião do dia 11, foi realizado uma live e uma enquete propondo o absurdo de ratear direito, parcelar o aumento, fato que só prejudica e tira as vantagens dos servidores.
O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quinta-feira (27) que reajustou o piso salarial para professores de todo o país em 33,24%. Com isso, o piso passa de R$ 2.886 para R$ 3.845. 
A informação de que o governo iria dar esse reajuste foi antecipada pelo blog da Ana FlorA lei do piso salarial dos professores, sancionada em 2008, estabelece que o reajuste é feito anualmente, no mês de janeiro.
De acordo com o blog da Ana Flor, setores do governo debatiam até a noite desta quarta (26) qual deveria ser o tamanho do reajuste. A Casa Civil, Ministério da Economia e Ministério da Educação estavam considerando um aumento de 7,5%, que atenderia a governadores e prefeitos, já que estados e municípios arcam com a maior parte do custo da folha da educação básica.
Só que a pressão de parlamentares da área da educação e das categorias do magistério, além das ameaças de judicialização, levaram o governo a não querer assumir o custo político de dar um percentual de reajuste menor que 33%.
O reajuste de 33% defendido pelos professores segue os critérios da antiga lei do Fundo de Desenvolvimento e Manutenção da Educação Básica (Fundeb), substituída por uma nova versão aprovada no fim de 2020.

Comentários