PAIS, MÃES E USUÁRIOS DO CAPS DE ARACI RECLAMAM DAS FILAS E DA FALTA DE ATENDIMENTO.

 

Pais, Mães e usuários do CAPS de Araci tem mantido reclamação constante através das redes sociais e outros veículos de comunicação pelo que eles dizem ser "Desrespeito as famílias e aos usuários dos CAPS pelas filas enfrentadas, pela falta de atendimento e muita das vezes a falta de alguns medicamentos".

"O CAPS  mesmo se o povo não ir passar noite dormindo no  relento nas calçadas não consegue marcar consulta para psiquiatria, é uma agonia. Passei ontem as 18:00 horas em frente ao CAPS aqui no coqueiro e tinha uma senhora sentada na calçada para pegar uma senha hoje pela manhã, uma vergonha essa situação, os poderes públicos deveriam olhar mais para as pessoas carentes". Disse uma denunciante.

"Isso  exatamente, o pessoal  começaram a chegar nesse horários ai, já eu fui 1:00 hora e quase  que não acho ,minha senha foi a treze. Na secretaria de saúde a mesma situação.  No domingo a tarde já tem gente no local. E o pior que são muito  idosos  e mulheres com bebes  de colo dormindo  no relento. No posto  de saúde  também ta sendo  assim  só se consegue senha  se for de um dia para  o outro e dormir nas calçadas". Relatou a internauta.

Os CAPS são instituições destinadas a acolher pacientes com transtornos mentais, estimular sua integração social e familiar e apoiá-los em suas iniciativas de busca da autonomia, oferecendo-lhes atendimento médico e psicossocial. 
Os pacientes são atendidos de acordo com o Projeto Terapêutico Singular, que consiste em um tratamento específico para cada indivíduo, elaborado pela equipe. Além das consultas, o Projeto pode ser composto por diversas atividades, como oficinas terapêuticas e culturais, rodas de conversa e orientações individuais ou em grupo, entre outras.
INFELIZMENTE, a realidade do CAPS de Araci é outra, praticamente falta tudo, os pacientes, na sua maioria, pessoas carentes, que nem sequer tem condições de comprar seus medicamentos estão sofrendo com a falta constante desses remédios. 

"Fui ontem no CAPS pegar umas medicações não tinha mandaram eu ir no posto como sempre em falta tbm e muita decepções. Nosso povo não pode está passando por essa situação. Araci até hj não teve um gestor que fizer estratégica pra diminuir esse sofrimento". Relato de mãe de usuário do CAPS.

"Eu fui duas vezes na secretaria pra marcar uma consulta  cheguei 4 horas da manha não conseguir as senhas foram poucas tinha gente que tinha ido dormir no domingo não conseguiu. O pessoal estava tudo revoltado na fila".

Segundo pessoal sim e também algumas questões relacionadas a secretária de saúde para entrega de senha

Tenho conhecimento lá só tem 30 atendimento por semana, devido a essa situação as pessoas estão indo na madrugada para garantir sua vaga!! Inclusive gente que vai para a fila para negociar  com pacientes!!

O caps só tem dois tipo de atendimento que é o psiquiatra e psicólogo.Basta só aumentar o serviço

As pessoas que estão na fila de madrugada  estão em busca de médicos especialistas. 


veja abaixo matérias anteriores já publicadas sobre o assunto...


CAPS DE ARACI TEM CONTA DE ÁGUA CORTADA

CAPS DE ARACI TEM CONTA DE ÁGUA CORTADA

Mais uma denuncia envolvendo o CAPS de Araci, onde, hoje, pudemos constatar que a EMBASA, fornecedora de água no município de Araci, interrompeu, cortou, deixou de fornecer, água potável para a residência, que serve como Centro de Atenção Psicossocial de Araci, que fica próximo ao centro comunitário Pe. Osvaldo, no centro de Araci. Veja na foto acima, de hoje, de agora, comprovando a denuncia, a tarja vermelha comprova a ruptura do fornecimento de água na residência, no CAPS de Araci.
Veja o vídeo.

ARACI PARTE V – VEREADOR ROMULO DENUNCIA CAP´S DE ARACI.

ARACI PARTE V – VEREADOR ROMULO DENUNCIA CAPS DE ARACI.
O Vereador, Romulo Carvalho Matos em sua rede pessoal no face, em julho, vem denunciando a situação lamentosa da REALIDADE DO CAPS DE ARACI, DOA A QUEM DOER!!!
Os CAPS são instituições destinadas a acolher pacientes com transtornos mentais, estimular sua integração social e familiar e apoiá-los em suas iniciativas de busca da autonomia, oferecendo-lhes atendimento médico e psicossocial. 
Os pacientes são atendidos de acordo com o Projeto Terapêutico Singular, que consiste em um tratamento específico para cada indivíduo, elaborado pela equipe. Além das consultas, o Projeto pode ser composto por diversas atividades, como oficinas terapêuticas e culturais, rodas de conversa e orientações individuais ou em grupo, entre outras.
INFELIZMENTE, a realidade do CAPS de Araci é outra, praticamente falta tudo, os pacientes, na sua maioria, pessoas carentes, que nem sequer tem condições de comprar seus medicamentos estão sofrendo com a falta constante desses remédios, mais tristes ainda é saber que os médicos que cuidam da recuperação dessas pessoas do CAPS, ESTÃO SEM RECEBER SEUS SALÁRIOS HÁ MESES e o cúmulo dos absurdos ainda é saber da necessidade da contratação de um PSICOTERAPEUTA para a recuperação dos mesmos e até o dia de hoje não foi resolvido. Muito desumano por parte do PREFEITO SILVA NETO, que além de não ter sensibilidade e responsabilidade com esses pacientes, simplesmente ignora, demonstrando total falta de compromisso como Gestor. Faz um bom tempo que venho cobrando isso do Prefeito na Casa Legislativa e até hoje nenhuma atitude foi tomado para melhorar a vida dessas pessoas que dependem do bom atendimento. Os DIREITOS FUNDAMENTAIS dos nossos irmãos que dependem do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) - Araci/Ba, estão sendo violados pelo Poder Público Municipal. ACORDA ARACI, PARA ESSA REALIDADE.
Atenciosamente,
Rômulo Carvalho Matos
Vereador de Araci.
Relator da Comissão Permanente de Saúde.
Rômulo Carvalho Matos Estamos presenciando um dos piores prefeito dos últimos tempos, a falta de compromisso é tão absurda que essa administração teve a coragem de cortar a alimentação dos pacientes do CAPS, que pelo regulamento, teria que fornecer em dois turnos. imagine ai, se ele está fazendo isso com esses pacientes que na sua maioria são carentes, imagine com os outros. O POVO MAIS NECESSITADOS , ESTÃO COMPLETAMENTE ABANDONADOS.

Centro de Atenção Psicossocial de Araci tem nova sede a partir da nova gestão do Sr, Prefeito, Silva Neto, onde o prédio é novo e desde o inicio de gestão tem uma estrutura que tem sua nova sede na Rua Padre Júlio Florentino, n.º 251, Centro (próximo ao Centro Paroquial). O horário de funcionamento é o mesmo: de segunda a sexta, das 08 às 17h.
Atualmente, 50 pessoas em média são atendidas por dia para a dispensação de remédios. “E este número geralmente aumenta em dias da Feira Livre, pois vem pessoas da zona rural também buscar os remédios indicados pelos médicos”, ressalta a coordenadora, que lembra que alguns destes mesmos medicamentos  que muita gente reclama que está em falta, na verdade, está fora da escala de entrega do MS. “Foram medicamentos que foram alterados em nome e dosagem, sendo substituídos por outros correlatos, e a maioria das pessoas só procura o antigo”, falou.
Com trabalho voltado para o acompanhamento especializado, a equipe multidisciplinar composta de Psicólogo, Psiquiatra, Enfermeira e Assistente Social está preparada para atender também aos familiares dos acompanhados. “Aqui, o nosso trabalho é entender a rotina diária do paciente, pois o que ele precisa pode ser resolvido em casa, na maioria dos casos, e pra isso, precisamos contar com o apoio familiar”, diz Ana Costa, que ressalta, ainda, que este é o melhor remédio de quem precisa do acompanhamento do Centro de Atenção Psicossocial.
Em alguns casos, o atendimento pode ser feito no próprio PSF em que a pessoa está cadastrada, pois são apenas os considerados “ímpetos depressivos”, quando uma situação acomete a pessoa, causando ansiedade, por exemplo. Com isso, o tratamento dispensado aos acompanhados pelo Psiquiatra será melhorado, após a triagem.
Há anos atrás, na gestão passada da Sra. Maria Edneide Torres Silva Pinho, a realidade da época com Solidariedade motivou até a construção de uma horta no Caps de Araci. A FASE propôs reunir pacientes do Centro de Atenção Psicosocial (CAPs) de Araci para que desenvolvessem práticas de horticultura porque tem efeitos terapêuticos e garante alimentação de qualidade.

A FASE Bahia, por meio da técnica agropecuária Andréa Almeida que atua em municípios do Território do Sisal participou ativamente de uma ação conjunta que beneficiou dezenas de pessoas atendidas pelo Centro de Atenção Psicosocial (CAPs) de Araci.
O Caps atende à pessoas da área urbana e rural com algum tipo de transtorno mental que exige atenção periódica por parte de profissionais especializados. Os pacientes passavam o dia inteiro no Caps, onde também se alimentam. A FASE propôs reunir pacientes para que desenvolvessem práticas de horticultura, o que traz efeitos benéficos, tanto do ponto de vista ocupacional e terapêutico, como também nutricional, afinal, garante verduras e legumes saudáveis mais facilmente acessíveis aos pacientes. A produção local pode contribuir também para amenizar eventuais interrupções no fornecimento em caso de problemas orçamentários ou atrasos na remessa de verbas por parte dos setores governamentais responsáveis pela manutenção dos serviços. Este exercício de solidariedade protagonizado pela FASE Bahia contou com a decisiva participação da técnica Andréa Almeida, e de jovens e mulheres AMA´s de Araci, que puderam aplicar conhecimentos de horticultura construídos ao longo do percurso formativo e das visitas de assessoria técnica feitas pela FASE. Também participaram alunos do Pró-Jovem e os técnicos da Fundação Apaeb, além de vários profissionais do Caps de Araci.
Esta atividade foi realizada no dia 27 de junho e segundo Andréa “o nosso objetivo foi mostrar que a FASE é Solidariedade, e como eles estavam precisando de nossa ajuda, nada mais justo do que a FASE se somar às parceiras e fazer um bom trabalho”.
VEJA OS DOCUMENTOS DENUNCIADOS PELO VEREADOR.



Comentários