Jornal Tribuna Sisaleira

Jornal Tribuna Sisaleira

Protesto de Moradores e Obras de duplicação da BR-116 Norte rompem adutora da Embasa e abastecimento é interrompido

Obras de duplicação da BR-116 Norte rompem adutora da Embasa e abastecimento é interrompido. Segundo a Embasa, as equipes da empresa já estão em campo realizando os reparos necessários e a previsão é que o abastecimento seja retomado, de forma gradativa, a partir de amanhã (22). A Embasa informa que o abastecimento foi interrompido esta tarde na parte norte da zonal rural de Feira de Santana por causa de um vazamento na adutora provocado pelas obras de duplicação da BR 116 Norte.

Segundo a Embasa, as equipes da empresa já estão em campo realizando os reparos necessários e a previsão é que o abastecimento seja retomado, de forma gradativa, a partir de amanhã (22). 

Protesto de moradores do Novo Horizonte causa congestionamento na BR-116 norte. Eles afirmam que o motivo do protesto foi a morte de uma moradora na noite de ontem (20), que foi atropelada por um caminhão, e cobram a colocação semáforos no local. Um protesto de moradores do bairro Novo Horizonte no final da tarde desta quinta-feira (21) gerou um grande engarrafamento na BR 116-norte, em Feira de Santana. Os moradores interditaram a pista, nos dois sentidos, queimando pneus e pedaços de madeiras. Eles afirmam que o motivo do protesto foi a morte de uma moradora na noite de ontem (20), que foi atropelada por um caminhão, e cobram a colocação de semáforos no local.

“Esse protesto é pra que instalem uma sinaleira para que tenha mais segurança para quem precisa atravessar. Novo Horizonte é um bairro populoso, com muitas crianças e precisa de uma sinaleira com urgência. Foi a quarta pessoa que faleceu aqui na pista da mesma família. Colocaram um quebra-molas, mas depois foi retirado e as carretas estão passando em alta velocidade”, relatou o morador Josean Souza de Oliveira.
Um caminhoneiro, que não quis se identificar, estava indo para Serrinha e já estava há mais de duas horas e meia parado no engarrafamento causado pelo protesto. “Parei as 17h30 nesse engarrafamento. Não existe isso, estou cansando, desde a manhã na luta. A gente sente muito pela vida da senhora, mas é complicado, muita gente cansada, precisando ir pra casa. Esse protesto tinha que ser de meia hora”, afirmou.
A Polícia Militar e a Polícia Rodoviária Federal estavam no local do protesto.