Vocalista da banda Chicana morre em acidente de carro

Jornal Tribuna Sisaleira

Jornal Tribuna Sisaleira

Ao passar em Riachão, Ciclista gaúcho conta que descobriu na bicicleta uma forma de superar sofrimento

Uma decepção levou um homem a superar os próprios limites. O ciclista Gaúcho Gilmar Azevedo, de 59 anos, começou a rodar o Brasil sobre duas rodas em 2013, após se curar de um sério problema de saúde que o levou ao fundo poço enfrentando uma profunda depressão. Ele conta que essa foi uma forma de fugir de tudo que lhe causou tristeza.  
“Eu não tenho esposa e nem filhos, meus irmãos vivem em situação difícil, trabalhava em uma fazenda e fui abandonado pelos amigos assim que sofri um acidente de trabalho e fiquei desassistido. Então eu fujo de todo sofrimento, deixei tudo para trás e sigo meu caminho. Essa bicicleta é a minha casa”, declara. 
Com isso, já são mais de 100mil km rodados sobre duas rodas, várias cidades pelo Brasil e muita história para registrar em um livro que o mesmo pretende lançar em 2020. Ele contou que roda em média 50km por dia, e que para em locais estratégicos para descansar e seguir viagem.

O ciclista já passou por muitas dificuldades, mas hoje diz estar feliz com a forma que encontrou para viver e superar os problemas de saúde. Sem nenhuma fonte de renda, o homem conta com apoio de pessoas na estrada e doações por onde chega, em Riachão o rapaz diz ter sido bem recebido. 
“As pessoas doam comida, dinheiro, sempre sou bem recebido nos lugares e eu só tenho agradecer, aqui mesmo em Riachão do Jacuípe eu fui muito bem tratado e jamais esquecerei esse povo jacuipense”, revela.

O próximo destino de Gilmar é a cidade de Juazeiro na Bahia. Serão 315km de muito pedal e aventura.