Jornal Tribuna Sisaleira

Jornal Tribuna Sisaleira

Polícia prende acusado de praticar estupros em diversos bairros de Feira de Santana

Polícia prende acusado de praticar estupros em diversos bairros de Feira de Santana. Ele agia na Cidade Nova, Mangabeira, Campo do Gado Novo e atualmente estava na região do Conjunto Feira VI e bairro Papagaio. Foi preso na tarde desta sexta-feira (2), no conjunto Feira VI, em Feira de Santana, Valter Ferreira da Silva, de 27 anos, que mora nas imediações do Clube da Adelba no bairro Papagaio, e é acusado de praticar estupros em vários bairros da cidade.

De acordo com a polícia, ele foi pego por populares quando tentava praticar outro estupro. Policiais da viatura Lobo 72 da 65ª Companhia Independente de Polícia Militar (65ª CIPM), sob o comando do sargento Cristiano, apresentaram Valter à delegacia.
O soldado Rafael informou que a polícia estava em rondas pelo Conjunto Feira VI, quando foi acionada para uma ocorrência em que populares relataram que um indivíduo chamado “Zulu” havia tentado estuprar uma pessoa. Ao chegar ao local do chamado, verificaram que o homem tratava-se de Valter, e a população estava prestes a linchá-lo. Ele foi espancado e agredido por pessoas que passavam pelo local.
“Encontramos ele com várias escoriações e caído no chão. A população queria matá-lo e foi necessário colocá-lo imediatamente dentro da viatura”, disse.
Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade
O policial informou que Valter mora no bairro Papagaio e praticava estupros em diversos bairros da cidade. Ele agia na Cidade Nova, Mangabeira, Campo do Gado Novo e atualmente estava na região do Conjunto Feira VI e bairro Papagaio.
Esta semana a foto de Valter passou a circular pelas redes sociais e pelos diversos canais de comunicação, após ele ter sido flagrado cometendo o estupro, através de câmeras de segurança. O caso aconteceu no bairro Cidade Nova quando a vítima se deslocava, durante as primeiras horas da manhã, para o trabalho. O fato gerou muita repercussão e outras denúncias contra Valter começaram a surgir.
Populares também informaram que, ao saber que era procurado pela polícia, Valter preparava-se para evadir da cidade.
A delegada Maria Clécia Vasconcelos relatou que a polícia não imaginava o quanto ele era perigoso e havia seis inquéritos que descreviam a mesma forma de agir do acusado. No entanto, depois da divulgação das imagens das câmeras de segurança, esse número aumentou para nove.
“Com a divulgação das imagens, mais mulheres vieram denunciar. Elas não haviam feito registros anteriores, mas diante daquelas imagens, elas se sentiram na obrigação de vir fazê-lo e então daquele número inicial nós passamos a ter mais mulheres denunciando. O apoio da Coordenadoria de Polícia, da Polícia Civil toda no encalço desse indivíduo, da Polícia Militar foi fundamental. Tínhamos o mandado de prisão e estávamos fazendo campana até que hoje ele tentou mais uma vez estuprar outra mulher. Diante disso, a população se revoltou e tentou matá-lo. Ele foi salvo através da ação necessária dos policiais de tirarem das garras da população esse indivíduo. A divulgação das imagens foi imprescindível e com a divulgação chegamos a ele. As imagens falam por si só e além do mais existem exames periciais e as vítimas dão riquezas de detalhes sobre os crimes. Ele irá para o Conjunto Penal de Feira de Santana, que é onde pessoas que fazem mal à sociedade, em especial às mulheres devem estar”, acrescentou a delegada.
Ao Acorda Cidade, Valter negou todas as acusações. Ele disse que estava em casa no dia do estupro ocorrido no bairro Cidade Nova e que não é ele quem aparece nas imagens do vídeo divulgado pela polícia.
“Eu já fui ouvido na delegacia, falei com a doutora onde era minha residência e fui liberado. Fui buscar meu irmão e na hora que eu estava voltando pra casa pararam dois homens, que mandaram eu parar, atiraram e por isso eu corri, mas eles conseguiram me pegar. Se não fosse a polícia eu estava morto. Nunca fui preso por nada, no momento estou desempregado e faço bicos. Já tive mulher, tenho mãe e não fui eu. Estava em casa, não tenho nada a ver com esse caso”, afirmou.
Valter estava com o mandado de prisão preventiva decretado, foi levado pelos policiais para receber atendimento em uma policlínica e depois encaminhado à delegacia. Ele agora será encaminhado para o Conjunto Penal de Feira de Santana.