Jornal Tribuna Sisaleira

Jornal Tribuna Sisaleira

GREVE DE PM NA BAHIA? SAIBA A VERDADE!

Governo nega greve da PM e diz que atendimento à população segue normalmenteApesar da greve anunciada pela Associação dos Policiais Militares e Seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), após assembleia realizada em Salvador, na tarde desta terça-feira (8), o governo da Bahia e o Comando Geral da Polícia Militar negam a paralisação e afirmam que “trata-se de um movimento político sem a adesão da PM”.


A Secretaria da Segurança Pública (SSP) divulgou nota por volta das 19h30 e informou que policiais militares permanecem atendendo a população através dos chamados via 190, sem qualquer tipo de anormalidade. “Estamos com as equipes 100% nas ruas. A população sabe em quem confiar. Qualquer anormalidade, devemos ser acionados através do telefone 190”, informou o comandante de Operações da Polícia Militar, coronel Humberto Sturaro. Segundo a SSP, informações falsas sobre arrastões, roubos, entre outros crimes, serão investigadas pela Polícia Civil.
Pelas redes sociais, também na noite desta terça-feira, o governador Rui Costa caracterizou o movimento como político e disse que não houve nenhuma adesão à convocação.
De acordo com a Aspra, a mobilização é para cobrar do governo reivindicações como melhorias no Planserv, solução para os problemas do novo sistema RH, o plano de carreira da categoria, o reajuste da CET (benefício da Condição Especial de Trabalho), regulamentação da lei que prevê isenção de ICMS na compra de arma de fogo por servidores da segurança pública e a regulamentação da lei periculosidade, aprovada há 18 anos.

Policias militares da Bahia decretam greve por tempo indeterminado

Após quase três meses de impasse, os policiais militares e bombeiros do Estado da Bahia decretaram greve na tarde desta terça-feira (8), em assembleia realizada no Clube Adelba, atrás do Shopping Paralela, em Salvador. Em entrevista, o deputado e representante da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares (Aspra), Soldado Prisco (PSC), contou que o Governo não sentou na mesa de negociação. “Esperamos que o governo sente e dialogue. O que nós queremos é apenas o diálogo. Se o Governo sentar e dialogar, tenha certeza que a categoria vai avançar. Enquanto não houver diálogo, não tem retorno aos trabalhos. Esse tumulto não vai partir dos policiais. Nosso pessoal está aqui e a recomendação é vir para cá, para ficar seguro aqui. Recomendo que a população fique em casa, porque a irresponsabilidade neste momento é do Governo do Estado, em não querer negociar. são seis anos de tentativa de negociação”, disse. Entre as pautas dos Militares, estão: melhorias do Planserv, cumprimento do acordo de 2014, solução para os problemas do novo sistema RH, reforma do Estatuto, código de Ética; periculosidade; auxílio Alimentação; reajuste da CET; plano de Carreira; cumprimento de ordem judicial e isenção de ICMS para Aquisição de Arma de Fogo para PMs e Bombeiros.