Jornal Tribuna Sisaleira

Jornal Tribuna Sisaleira

. ERA UMA VEZ... UMA PRAIA DO POÇO GRANDE, AGORA DESPREZADA POR SILVA NETO E KEINHA

A região sisaleira da Bahia CONTAVA com uma opção de lazer com a reinauguração da primeira etapa do Complexo Turístico – Poço Grande situado a 18 km do centro da cidade de Araci. TRATAVA-SE de uma mega estrutura montada pela Prefeitura Municipal (2001-2004 e 2009-2012) que deu uma característica de praia a um dos maiores açudes do Nordeste. 
HOJE, abandonada, esquecida, desvalorizada, jogada as traças, sem manutenção e sem investimento  pela Prefeitura Municipal de Araci, Prefeito Silva Neto e Vice Keinha, o Complexo Turístico de Poço Grande, DEIXOU DE SER palco para várias bandas que ANIMAVAM os turistas que VINHAM conhecer aquela que SERIA mais uma alternativa de lazer na região sisaleira. 
Idealizado pelo ex-prefeito, Edvaldo Pinho (DEM), o projeto estava paralisado há 17 anos e foi retomado com os recursos próprio da Prefeitura da então Prefeita Nenca. 

Na Festa de reinauguração, Edvaldo Pinho falou durante o ato e disse aos deputados presentes, Mário Negromonte Júnior (PP) e José Nunes (DEM), que Poço Grande é o novo pólo turístico da Bahia e necessita do apoio deles. O deputado Estadual Mário Júnior, garantiu empenho para acelerar os recursos orçamentários valor de R$ 100 mil que estão prestes a serem liberados pela Caixa Econômica para investimento na segunda etapa. 
O espaço em plena caatinga, as margens de um açude com 18 km de espelho d'água, construído pelo DNOCS em 1958 com o objetivo de resolver o problema de abastecimento d'água da época e hoje ABANDONADO, mas que JÁ FOI UTILIZADO para gerar emprego e renda com base no turismo. TINHA restaurante flutuante, 03 quiosques, seis bares, 12 chuveirões para adulto e criança, um deck para banho de sol, equipamentos para ginástica e parque infantil.

Toda esta estrutura é interligada com calçadões. As pessoas COMPARECIAM a eventos QUE TINHA oportunidade de fazer passeio de Jet-ski, prancha e canoa, além do tradicional nado, tudo isto sob os olhares de salvas vidas e da guarda municipal QUE SEMPRE ESTAVAM PRESENTE. Não HAVIA espaço livre nem para pessoas e nem para os veículos que ENTRAVAM no povoado que fica a 18 quilômetros da cidade de Araci. Os bares, quiosques e restaurantes ESTAVAM com lotação.



VEJA AS FOTOS DO PERÍODO 2001-2004 e 2009-2012.