Jornal Tribuna Sisaleira

Jornal Tribuna Sisaleira

Feira tem mais de 2 mil notificações de dengue e chikungunya

Feira tem mais de 2 mil notificações de dengue e chikungunya. O índice de infestação preconizado pelo Ministério da Saúde é abaixo de 1% e Feira de Santana apresenta 1.9%, o que ele considera como médio risco. A cidade de Feira de Santana já registrou neste ano mais de 2 mil notificações de dengue e chikungunya. A informação é do coordenador do Centro Municipal de Endemias, Edilson Matos. Segundo ele, as notificações de dengue contabilizam 952 casos.

Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

“Estamos com 2.158 notificações. Dessas notificações, nós temos dengue com 952, dengue com sinal de alarme 24 e dengue grave graças a Deus nós não temos nenhum. Os casos descartados são 450 e aguardando o encerramento são 532. Comparando ao ano passado a situação não quer dizer que está fora de controle, mas é para agente tomar os cuidados e a população tem que nos ajudar, porque daí a pode aumentar que nem aconteceu o ano passado. Chikungunya nós estamos hoje com 1471 casos. Estão descartados 138 confirmados 715 e aguardando o encerramento 618. Zika temos poucos casos, mas estamos alertas para tomar as medidas de segurança necessárias”, pontuou. Edilson Matos afirmou ao Acorda Cidade que o índice de infestação preconizado pelo Ministério da Saúde é abaixo de 1% e Feira de Santana apresenta 1.9%, o que ele considera como médio risco. Ele salientou que esses dados fazem com que o trabalho seja reforçado e ele pontuou que há parceria da Vigilância Epidemiológica, Secretaria de Serviços Públicos e também a Secretaria de Educação.

“Hoje nós temos um contingente bom para o trabalho que nós estamos realizando em Feira de Santana. Temos 13 bombas costais motorizadas e um carro fumacê que ajuda no bloqueio do mosquito. O trabalho não para, trabalhamos de domingo a domingo, cortando a cadeia de transmissão”, disse.

O coordenador do Centro de Endemias relatou que houve uma mudança na inseticida utilizada e o órgão aguarda que a nova inseticida seja enviada pelo Ministério da Saúde, enquanto isso, os agentes de endemias estão utilizando para o trabalho uma larvicida que está vencida, mas o ministério normatizou que pode ser feito o uso.

“O Malation é o produto que usamos que é para deixar o mosquito estéreo. Foi feita uma pesquisa e foi comprovado que pubicida não está surtindo efeito. Mas, como dependemos do governo federal para enviar para o estado o estado e o estado enviar para o município, nós estamos aguardando um novo porque tudo que chega tem que haver um treinamento e tem que ter a dosagem correta porque tudo tem que ter critério de utilização”, finalizou.