Jornal Tribuna Sisaleira

Jornal Tribuna Sisaleira

Adolescente de 15 anos fica preso em banheiro com situação precária por ter Covid-19

Ele foi preso no dia 2 de junho por ato infracional análogo ao tráfico de drogas. Preso, quebra-cabeça e uma bíblia era o refúgio para o confinamento desconfortável.
A Fundação Casa (Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente) manteve um menor de 15 anos, por uma semana, preso em um banheiro depois de ser diagnosticado com Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.
Ele realizou o teste para a Covid-19 e foi transferido para fundação que fica em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. O mesmo apresentava febre, dor na cabeça e na garganta. O adolescente foi preso no dia 2 de junho por ato infracional análogo ao tráfico de drogas.
Após receber o diagnóstico positivo para doença já na fundação, para ficar isolado ele foi para um banheiro com situação precária, onde só tinha um vaso sanitário e um colchão. Ele foi impedido de tomar banho de sol.
“Eles me deram uma bíblia pra ler e um quebra-cabeça lá. Eu montei aquele quebra-cabeça umas 50 vezes. Li o Salmo 23, o Salmo 91. O resto do tempo eu passava chorando”, contou. Segundo a coluna Mônica Bergamo, no jornal Folha de S. Paulo, ele mora com a mãe, que é empregada doméstica, e com o padrasto, que é pedreiro.
A autarquia fundacional que cuida dos menores infratores, informou por meio de nota que o caso será investigado pela Corregedoria Geral. O órgão registra 48 casos de coronavírus.
Leia a nota enviada pela Fundação Casa:
“Todo adolescente que entra no sistema socioeducativo, tendo ou não sintomas de COVID-19, é colocado em isolamento, em local provisório, recebendo orientações quanto à higienização, distanciamento e uso de máscaras, protocolos de saúde usados pela Fundação visando evitar a disseminação entre os demais jovens e servidores.
No caso do adolescente, quando da sua apreensão pela polícia, apresentou sintomas de COVID-19, sendo atendido pelo serviço de saúde local. Foi submetido ao teste rápido, com resultado positivo, razão pela qual foi prontamente colocado em isolamento ao dar entrada no CASA São José do Rio Preto. A família do jovem e o judiciário foram informados sobre sua situação de saúde.
No Centro, o adolescente foi acompanhado pela equipe de referência e de saúde para aferição rotineira de sua temperatura corporal e do quadro geral de sintomas.
É certo que a administração da Fundação recebeu a notícia de que esse jovem foi mantido em alojamento provisório, em condições que não seriam adequadas, razão pela qual foi deliberada a imediata instauração de expediente pela Corregedoria Geral da instituição, sendo solicitadas desde logo informações ao diretor da unidade.
A Fundação CASA se mantém atenta e prima pela transparência e pelo aperfeiçoamento dos procedimentos adotados diante da pandemia e apurará com rigor eventuais falhas.
A Instituição informa também que, logo após a decretação da pandemia, foi instalado o Comitê de Gerenciamento de Crise, que tomou decisões e implementou medidas visando preservar a vida dos adolescentes em atendimento e dos servidores, assim como manter um ambiente de trabalho seguro.
Os servidores receberam equipamentos de proteção individual (EPI) e estão orientados sobre os procedimentos de limpeza e higiene. Os profissionais também são apoiados pela equipe de saúde da sua respectiva divisão regional e pela superintendência de saúde da Fundação.
As atividades presenciais nos centros como visitas dos familiares, atividades religiosas, palestras, serviço voluntário, aulas da educação escolar com professores da rede pública estadual e cursos e oficinas executados por parceiros foram suspensas, bem como as saídas externas, exceto nas situações de urgência e emergência.
As atividades pedagógicas foram substituídas por uma agenda especial, aplicada pelos servidores do quadro pedagógico da Fundação CASA.
Foram distribuídos álcool em gel, luvas, avental, sabão, oxímetro, termômetro infravermelho e máscaras descartáveis e de tecido. Os Centros são monitorados rotineiramente para verificar a disponibilidade dos suprimentos.
Há ainda campanha interna de conscientização permanente sobre os cuidados de higiene e de uso de máscaras pelos servidores. Foram criadas novas regras para higiene, limpeza, desinfeção e esterilização dos ambientes, assim como para revistas nas entradas dos espaços dos centros socioeducativos, com uso obrigatório de máscaras e inspeção da temperatura corporal.
Por fim, a Fundação CASA criou um canal de comunicação exclusivo para o diálogo com os funcionários sobre a doença, por meio do e-mail casacontracoronavirus@sp.gov.br, de acesso dos membros do Comitê de Gerenciamento de Crise.
Além destas ações, a Fundação CASA criou o “Cana da Família”, espaço para manter diálogo com familiares dos adolescentes em medida socioeducativa. O Canal está disponível no site da Fundação CASA, além dos telefones 0800 777 3272 (ligação gratuita) ou (11) 2927-9950.”.