BOLETIM COVID 19 DE ARACI E TUCANO

EM MEIO À CRISE, COMANDO-GERAL DA PM CONVOCA REUNIÃO COM CHEFIAS DE UNIDADES

Pois é, foram muitos tiros, disparos de arma de fogo, acredito que o uso da técnica poderia se estender por muito mais tempo, mas não deu tempo 'Wesley Soares Góes' que falava o tempo todo em honra e prazer pela farda que vestia, foi morto a tiros, pelos irmãos de farda, veja o que fala o site Bnews sobre esta ocorrência...

"Em meio à crise após a morte do policial Wesley Soares Góes, alvejado durante um possível surto, o comandante-geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Paulo Coutinho, convocou uma reunião com todos os comandantes de unidades da corporação. O encontro interno, por videoconferência, está programado para as 16h desta segunda-feira (29).

Wesley Soares foi baleado no início da noite deste domingo (28), na Barra, após efetuar disparos na direção dos policiais que faziam o cerco ao local. Ele foi encaminhado para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu aos ferimentos.

Na porta da unidade de saúde, pelo menos dezenas de PMs se reuniram em um protesto. Na tarde desta segunda-feira (29), policiais realizam uma carreata em direção à sede da Governadoria, no CAB".

O comandante-geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Paulo Coutinho, prestou esclarecimentos sobre a ação da PM na contenção do policial Wesley Soares, morto em uma troca de tiros na noite de ontem (28). Wesley dirigiu-se ao Farol da Barra, em Salvador, aparentando um quadro de surto psicótico e, por volta das 14h, começou a atirar com um fuzil, primeiramente para o alto e, no final da tarde, contra a própria tropa da Polícia Militar presente no local. Houve uma reação, o soldado foi baleado e encaminhado para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde acabou morrendo no final da noite.

Segundo o comandante da PM, foram utilizados recursos de uso progressivo da força, no momento da atuação. “A situação não permitia, inclusive pela distância, a utilização de uma pistola de condicionamento. A tropa estava sendo atacada com uma arma de guerra, um fuzil. Efetivamente, é um potencial de letalidade grande. As ações foram desencadeadas com o objetivo de retirá-lo do enfrentamento”. 

O coronel informou também que a PM possui equipe de psicólogos para atender a tropa. “Temos uma equipe de psicólogos e fomos reforçados, recentemente, com 20 psicólogos clínicos para atendimento de policiais militares em todo o estado”. 

O coronel Coutinho destacou ainda que a instituição está prestando todo o apoio à família de Wesley. “Um policial militar que não apresentava  problemas de comportamento, não deu sinais em qualquer momento de distúrbios, trabalhava em Itacaré, assumiu o serviço ontem [domingo, dia 28] pela manhã em Itacaré e dirigiu-se ao Farol da Barra, armado, pra fazer aquela situação que nós nos envolvemos como ocorrência crítica, no veículo dele próprio. Trouxemos, inclusive, uma irmã dele, no helicóptero da corporação, em uma tentativa de negociação para encerrar aquela situação”, revelou o comandante-geral.

Comentários