PROJETOS INDIGENAS KIRIRS VISITAM AS ESCOLAS EM JORRO, TUCANO

Mulher é presa suspeita de contratar pistoleiro para executar cunhada em Capim Grosso; homem errou alvo e matou jovem de 19 anos

Uma mulher de 35 anos foi presa na terça-feira (3), suspeita de contratar um pistoleiro para matar a cunhada em Capim Grosso, no norte da Bahia, em outubro de 2022. Na ocasião, uma jovem que não tinha qualquer relação com suspeita, foi baleada e morreu. As informações são da Polícia Civil.

O crime aconteceu dentro de uma loja. O pistoleiro contratato foi ao local de trabalho da mulher, alvo da ação, mas se confundiu e disparou contra Érica Souza Santos, de 19 anos. A Polícia Civil detalhou que o atirador entrou no estabelecimento, foi ao balcão da loja e executou Érica. Ela morreu no local.

A jovem de 19 anos estava no balcão porque a cunhada da suspeita precisou sair da loja e a deixou no local. A polícia informou que a suspeita teria contratado um pistoleiro para matar a cunhada por causa de uma rixa familiar, que não foi especificada.

A polícia ainda contou que, inicialmente, a linha de investigação apontou para o crime de latrocínio, ou seja, roubo seguido de morte. Porém, o atirador não levou nenhum item da loja, nem mesmo o celular que a vítima entregou sem resistência, o que levantou suspeita.

“A forma como o atirador agiu, executando, de pronto, a mulher, ainda se dando o trabalho de efetuar um último disparo já com a vítima ao solo, apontou um novo caminho para a investigação”, disse o delegado Jaime José de Britto Andrade, titular da delegacia de Capim Grosso.

A suspeita fez o exame de lesão corporal e está presa no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep).

Jovem foi morta por engano em Capim Grosso; pistoleiro confundiu o alvo

Jovem foi morta por engano em Capim Grosso; pistoleiro confundiu o alvo

A Polícia Civil elucidou o assassinato de Érica Souza Santos, de 19 anos, ocorrido no dia 27 de outubro de 2022 em Capim Grosso – cidade a 62 quilômetros de Jacobina . A jovem foi morta por engano.
A investigação concluiu que uma mulher, de 35 anos, contratou um pistoleiro para matar a própria cunhada, mas o assassino confundiu Érica com o alvo e a executou a tiros. A mandante do crime foi presa na última terça-feira (3).
Érica foi morta enquanto atendia clientes no balcão da loja onde trabalhava, que pertence ao irmão da mulher que contratou o pistoleiro. Ao entrar no estabelecimento, o assassino não imaginou que ela fosse uma funcionária, mas sim a cunhada da suspeita. O pistoleiro anunciou um assalto, mas, em seguida, executou a jovem com ao menos três tiros.
Inicialmente a polícia tratou o caso como latrocínio, que é roubo seguido de morte. No entanto, ao analisar que o assassino deu um último tiro na vítima após ela já estar caída no chão, a polícia passou a acreditar em um homicídio.
A investigação descobriu que uma briga familiar motivou a mulher contratar um pistoleiro para matar a esposa do irmão. No momento em que o assassino entrou na loja, a cunhada da mandante havia saído e deixou Érica no balcão em seu lugar.
A mandante do crime foi presa e segue custodiada no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep), em Capim Grosso, à disposição da justiça.

Comentários