PROJETOS INDIGENAS KIRIRS VISITAM AS ESCOLAS EM JORRO, TUCANO

PF e Força Tarefa da SSP deflagram operações contra garimpo ilegal de ouro e homicídio; em Santaluz, Cansanção e Nordestina.

 

PF e Força Tarefa da SSP deflagram operações contra garimpo ilegal de ouro e homicídio; mandados judiciais são cumpridos em Santaluz, Cansanção e Nordestina

A Polícia Federal (PF) e a Força Correcional Especial Integrada da Corregedoria Geral da Secretaria de Segurança Pública da Bahia, com o apoio do Ministério Público e das polícias Civil e Militar, deflagrou, no início da manhã desta terça-feira (6), operações com o objetivo de cumprir mandados judiciais decorrentes de investigações relativas à mineração ilegal de ouro e homicídio, respectivamente, nos municípios de Santaluz, Jacobina, Valente e Santa Bárbara.

Cerca de 60 policiais federais cumprem oito mandados de busca e apreensão, em Santaluz, Cansanção e Nordestina, e dois mandados de prisão preventiva, todos expedidos pela 2ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Feira de Santana.

A PF informou que no decorrer da apuração identificou-se que os investigados, há anos, praticam a extração ilegal de ouro na região de Santaluz, com a construção de laboratórios, onde recebem e refinam ‘rejeitos’ de moagens, executadas por garimpeiros ilegais, através de processo químico industrial.

Foto: Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal detalhou que o ouro é extraído do ‘rejeito’ pelo procedimento da lixiviação, com a utilização de grande quantidade de cianeto de sódio, substância altamente tóxica e cuja compra e uso são controlados pelo Exército Brasileiro. “A prática ilegal pode causar grande impacto para a saúde humana e para o meio ambiente local”, alertou a polícia.

Os investigados, que não tiveram os nomes informados, poderão responder pelos crimes de usurpação de bens da União, associação criminosa, posse de artefatos explosivos, extração ilegal de recursos minerais e uso/armazenamento ilícito de substância tóxica, perigosa e nociva.

As penas, somadas, podem chegar a 19 anos de reclusão

Comentários