Jornal Tribuna Sisaleira

Jornal Tribuna Sisaleira

Laudo atesta que a água distribuída pela Embasa em localidades de Araci é segura para consumo

Semana passada dezenas de pessoas foram internadas em unidades de saúde de Feira de Salvador e uma criança morreu e previamente suspeitaram da água fornecida pela Embasa.

O laudo com o resultado de análise ampla de parâmetros de potabilidade realizada pelo Laboratório Central da Embasa em amostras de água coletadas no dia 16 de setembro, na saída do poço (manancial), na unidade de tratamento e na rede distribuidora de água que atende Lagoa do Boi, Lagoa dos Cavalos e Jurema, no município de Araci, atesta que a água distribuída pela Embasa nessas localidades está em conformidade com os parâmetros de potabilidade exigidos pelo Ministério da Saúde.

O trabalho de coleta realizado pela Embasa, no dia 16, também contemplou os açudes existentes em Lagoa do Boi e Lagoa dos Cavalos, fonte alternativa utilizada por parte da população. A análise das amostras de água bruta coletada nesses açudes mostrou valores elevados para Coliformes Totais e Escherichia Coli, indicando risco em termos microbiológicos para consumo direto da água desses mananciais sem tratamento prévio. Além desses parâmetros, Alumínio Total, Ferro Total e Manganês também apresentaram valores alterados em relação ao que determina o Ministério da Saúde para água potável.

Contágio por Rotavírus

Diante do anúncio da Secretaria de Saúde de Araci do contágio por Rotavírus pelas pessoas que apresentaram sintomas seguidos de hospitalização, entre os dias 9 e 11 de setembro, os resultados de qualidade da água apresentados pelo laboratório da Embasa confirmam a segurança da água distribuída pela empresa, pois, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, o Rotavírus não sobrevive por mais de 30 minutos em água com teor de cloro de 1mg/litro e a água distribuída pela Embasa apresenta teor de cloro superior a 1mg/litro, além de passar mais de 30 minutos no sistema, entre a unidade de tratamento e o reservatório de distribuição, até chegar à casa dos usuários.

Para o superintendente de Operação da Região Norte, Raimundo Neto, o resultado das análises descartam a hipótese da água distribuída pela Embasa ser um vetor de contágio. “A Embasa vai continuar apoiando, no que puder, as vigilâncias sanitárias do Município e do Estado na investigação sobre as causas do contágio por Rotavírus no município e, após oficializar a entrega dos laudos ao poder público e obter os resultados do Lacen, vai iniciar o processo de retomada do abastecimento de água tratada nessas localidades, pois é uma garantia de saúde para a população.

Parâmetros analisados

Os parâmetros que constam no laudo formam o padrão microbiológico, padrão de substâncias químicas que representam risco à saúde, padrão de cianotoxinas e padrão organoléptico (cor, entre outros) definidos pelo Ministério da Saúde no Anexo XX da Portaria de Consolidação No. 05/2017.


Sete crianças internadas após beberem água em Araci também são diagnosticadas com rotavírus

Sete das várias crianças que passarem mal e foram hospitalizadas depois de beberem água na cidade de Araci, na região sisaleira da Bahia, foram diagnosticadas com o rotavírus, segundo informações da Secretaria da Saúde do Município. Um bebê morreu após apresentar sintomas, no início de setembro. Um inquérito policial foi aberto para apurar o caso.

A doença é provocada pela ingestão de água ou alimentos contaminados por vírus. Na semana passada, dois adultos, que também precisaram ser hospitalizados após beberem água, tiveram o mesmo diagnóstico.

Segundo a Secretaria da Saúde, o resultado dos exames saiu no domingo (20). As crianças estavam internadas em um hospital de Feira de Santana, cidade a cerca de 100 Km de Salvador.

As internações ocorreram após mais de 20 pessoas passarem mal no povoado de Lagoa do Boi, que tem cerca de 700 moradores.

Os sintomas apresentados por alguns deles foram: vômitos, diarreia e dores abdominais. Vinte e três pessoas precisaram ser internadas. Até esta segunda-feira (21), duas crianças continuavam internadas no Hospital de Araci.

Suspeitas

Inicialmente, a suspeita era de que a água que abastece a localidade, há cerca de um ano, estivesse contaminada. A Empresa Baiana de Águas e Abastecimento (Embasa), responsável pelo fornecimento de água na região, no entanto, disse que os testes não apontaram contaminação. Por isso, a prefeitura da cidade investiga, também, se a caixa d’água usada no povoado está contaminada.

A avó de uma das crianças que passaram mal falou que precisou acompanhar a neta porque outras pessoas da família também tiveram sintomas após beber a água.

Desde os primeiros registros, amostras da água foram colhidas pela prefeitura e encaminhadas para serem examinadas no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), em Salvador. Os resultados ainda não ficaram prontos.

A prefeitura solicitou e a Embasa suspendeu o abastecimento de água na zona rural do município, até que se descubra o que causou os sintomas nos moradores. O abastecimento vem sendo feito através de carros-pipa do Exército.

Na ocasião, a Embasa disse que “desde que a suspeita de que a água distribuída na comunidade de Lagoa do Boi, no município de Araci, foi levantada pela Vigilância Sanitária, devido a episódios de mal-estar na população local seguidos de hospitalização e um óbito, a empresa iniciou uma série de medidas visando a segurança da saúde da população local”.

A Embasa disse, também, que “os resultados obtidos até agora indicam que a água distribuída na localidade tem cloro residual dentro de padrão recomendado pelo Ministério da Saúde e não tem presença de microrganismos nocivos à saúde ou que coloquem em risco a saúde da população”.


Duas pessoas internadas após beberem água em Araci são diagnosticadas com rotavírus; polícia investiga caso

 

Duas pessoas internadas após beberem água em Araci são diagnosticadas com rotavírus; polícia investiga caso. Duas das mais de 30 pessoas que passarem mal e foram hospitalizadas depois de beberem água na cidade de Araci, na região sisaleira da Bahia, foram diagnosticadas com o rotavírus, doença provocada pela ingestão de água ou alimentos contaminados por vírus. A informação é da secretária de Saúde da cidade. Um bebê morreu após apresentar sintomas. Um inquérito policial foi aberto para apurar o caso.

O caso ocorreu no povoado de Lagoa do Boi, que tem cerca de 700 moradores. Inicialmente, a suspeita era de que a água que abastece a localidade, há cerca de um ano, estivesse contaminada. A Empresa Baiana de Águas e Abastecimento (Embasa), responsável pelo fornecimento de água na região, no entanto, disse que os testes não apontaram contaminação. Por isso, a prefeitura da cidade investiga, também, se a caixa d’água está contaminada.

Os sintomas apresentados por alguns moradores foram: vômitos, diarreia e dores abdominais. Vinte e três deles precisaram ser internados, incluindo crianças. Até esta quarta, 11 continuavam no Hospital municipal de Araci. Outras cinco estão no Hospital Estadual da Criança, em Feira de Santana.

O resultado para o rotavírus, no entanto, foi dos pacientes que estão internados em Salvador.

“É um vírus que é muito comum na infância, mas também acomete os adultos”, disse Ana Ofélia Marques, secretária de Saúde de Araci.

A avó de uma das crianças que passaram mal falou que precisou acompanhar a neta porque outras pessoas da família também tiveram sintomas após beber a água.

O bebê que morreu após ingerir a água e passar mal se chamava David Raí dos Santos e tinha 1 ano e 8 meses. O óbito foi no dia 9 de setembro. A tia da criança fala da dor da família.

“Foi muita tristeza para a família toda. Perder um bebezinho tão sabido. Conversando tudo”, disse Joseane dos Santos, tia de David.

As amostras da água foram colhidas pela prefeitura e encaminhadas para serem examinadas no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), em Salvador. Ainda não há previsão para divulgação do resultado.

A prefeitura solicitou e a Embasa suspendeu o abastecimento de água na zona rural do município, até que se descubra o que causou os sintomas nos moradores. Carros-pipa do Exército foram enviados para o local para abastecer a população.

Desde que o fornecimento foi interrompido, não houve registro de novos pacientes com os sintomas.

O que diz a Embasa

Por meio de nota, a Embasa disse que “desde que a suspeita de que a água distribuída na comunidade de Lagoa do Boi, no município de Araci, foi levantada pela Vigilância Sanitária, devido a episódios de mal-estar na população local seguidos de hospitalização e um óbito, a Embasa iniciou uma série de medidas visando a segurança da saúde da população local”.

A nota pontuou que, no “dia 11 (de setembro), a empresa interrompeu o abastecimento nas localidades rurais de Lagoa do Boi, Lagoa dos Cavalos e Jurema e iniciou uma investigação por meio da coleta de amostras no reservatório e na rede distribuidora local e de análise em laboratório para verificar se a água está dentro dos padrões de potabilidade determinados pelo Ministério da Saúde e se existem indícios de substâncias contaminantes na água”.

A empresa disse, também, que “os resultados obtidos até agora indicam que a água distribuída na localidade tem cloro residual dentro de padrão recomendado pelo Ministério da Saúde e não tem presença de microrganismos nocivos à saúde ou que coloquem em risco a saúde da população”.

Falou também que, nesta manhã, “técnicos da empresa coletaram amostras no reservatório do sistema de abastecimento para analisar mais parâmetros de potabilidade e chegar a evidências conclusivas sobre a qualidade da água distribuída nessas localidades”.

Pontuou que “o abastecimento vai continuar interrompido nas três localidades até que todas as evidências quanto à qualidade da água distribuída nessas localidades sejam apresentadas à Vigilância Sanitária”.


Bebê de 1 ano e 8 meses morre e outras 15 crianças passam mal após tomar água na BA

Bebê de 1 ano e 8 meses morre e outras 15 crianças passam mal após tomar água na BA. Prefeitura de Araci suspeita de contaminação e pediu interrupção do fornecimento de água. Vinte adultos também passaram mal e dois foram transferidos para Salvador.

Bebê morre após consumir água com suspeita de contaminação em Araci

Salvador.Bebê morre após consumir água com suspeita de contaminação em Araci, Um bebê de 1 ano e 8 meses morreu e outras 15 crianças foram hospitalizadas na cidade de Araci, a cerca de 220 km de Salvador, depois de passarem mal ao ingerir água. A suspeita da vigilância epidemiológica é que a água esteja contaminada. Resultados de testes devem sair nesta terça-feira (15). A morte da criança aconteceu na última quarta-feira (9), na semana em que as crianças foram hospitalizadas com os mesmos sintomas: vômitos, diarreia e dores abdominais. Cinco crianças seguem internadas no Hospital Estadual da Criança, em Feira de Santana, nesta terça. Outros 20 adultos também tiveram sintomas leves. Eles foram atendidos e medicados no Hospital Municipal de Araci. Dois deles foram transferidos para o Hospital Português, em Salvador. A prefeitura notificou a Empresa Baiana de Águas e Saneamento S.A (Embasa) para que o abastecimento na zona rural do município fosse suspenso. Amostras da água foram colhidas e encaminhadas para serem examinadas no Laboratório Central de Saúde Pública, também na capital baiana. Por meio de nota, a Embasa disse que suspendeu a distribuição da água na localidade, embora não veja indícios de problemas, já que é a mesma água que abastece outros 50 povoados entre Araci, Tucano e Santa Luzia.

Comentários