Santaluz: adolescente de 13 anos morre afogado no Açude Tapera

Jornal Tribuna Sisaleira

Jornal Tribuna Sisaleira

6 ANOS DE DENUNCIAS E HOSPITAL DE ARACI, CONDENADO, REFLETE O CAUS DA SAÚDE MUNICIPAL.

A Situação do atendimento municipal da Saúde em araciense define na palavra "CAUS", nestes últimos seis anos, denunciamos aqui, a situação que piora a cada dia e encontra-se em total desprezo. 
Estamos denunciando a anos as irregularidades e a falta de atenção com a prevenção, cuidados e atendimento de emergência principalmente no HOSPITAL MUNICIPAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO, onde no dia 22 de maio de 2019, a Vigilância Sanitária do Núcleo Regional de Saúde, Centro-Leste, sede, e ainda uma técnica da vigilância sanitária da Regional de Serrinha, Bahia, apurou as demandas da OUVIDORIA DO SUS, referente a denúncias em que o Hospital Municipal de Araci está há 07 anos sem alvará de licença sanitária. Foram encontradas diversas não conformidades no hospital, que comprometem não só os profissionais de saúde, como também a população. Veja abaixo a lista das irregularidades encontradas.
A Saúde pública, em especial a do Hospital Municipal Nossa Senhora da Conceição de Araci, Bahia, foi alvo de protesto nesta manhã de segunda feira dia 8 de abril de 2019, onde Pais e Mães, recentemente vítimas de negligencia medica, segundo a acusações dos mesmo, realizaram um grande ato de protesto de frente a Prefeitura Municipal. O Hospital de Araci-BA, está desde 2013 sem Alvará de licença sanitária, ou seja, 7 anos. mesmo sem alvará Independem de licença para funcionamento os estabelecimentos integrantes da Administração Pública ou por ela instituídos, ficando sujeitos, porém, às exigências pertinentes às instalações, aos equipamentos e à aparelhagem adequadas e à assistência e responsabilidade técnicas.
Um ano depois da Resolução que autoriza o USO DA UPA como HOSPITAL, o Prefeito resolve acatar as reivindicações populares.
Querem calar o povo, querem enrolar a população, a UPA hoje não passa de um prédio abandonado, onde novamente o dinheiro público vai para o ralo.

Veja todas as Matéria anteriores


HOSPITAL DE ARACI COM 136 INCONFORMIDADES DE ACORDO VISTORIA DO SUS


Situação encontrada no dia 22 de maio de 2019 pela equipe da Vigilância Sanitária do Núcleo Regional de Saúde – Centro-Leste, sede, e ainda uma técnica da vigilância sanitária da Regional de Serrinha- Ba que apurou as demandas da OUVIDORIA DO SUS, referente a denúncias em que o Hospital Municipal de Araci está há 07 anos sem alvará de licença sanitária.
Foram encontradas diversas não conformidades no hospital, que comprometem não só os profissionais de saúde, como também a população. Veja abaixo a lista das irregularidades encontradas.
Situação encontrada no dia 22 de maio de 2019:
Caracterização do estabelecimento unidade hospitalar de caráter público conveniado ao sus para clínica médica, cirúrgica, ortopedia, pediatria, obstetrícia, ambulatório e internamento nas especialidades citadas, com estrutura horizontal, funcionando numa área em anexo lavanderia e cme. Possui 47 leitos ativos, sendo 05 leitos de observação e 03 poltronas, 01 leito de emergência, 07 leitos pediatria, 06 leitos masculinos de clínica médica e 06 leitos femininos de clínica médica e 07 leitos para cirúrgica indiferenciados em relação ao sexo, 08 leitos de obstetrícia, 05 leitos de pré-parto e 03 leitos de isolamento. dispõe de 01 sala cirúrgica e uma sala de parto. possui serviço de radiodiagnóstico médico (equipamento modelo mk 500tf; série 9550400; reg. ms 10377900004; ma 500 kv 125). Realiza em média 300 exames de raiox/mês terceiriza os seguintes serviços: manutenção de alguns equipamentos, higienização, laboratório e ultrassonografia. Os laudos dos eletrocardiogramas são emitidos mediante o serviço de telemedicina. Não possui fonte alternativa de energia elétrica, ativa. Foi visualizada a presença de um gerador, porém, segundo informações do diretor administrativo, o mesmo ainda não foi colocado em funcionamento. A água é fornecida pela embasa, possuindo três reservatórios de água, um subterrâneo e dois elevados. o hospital realiza uma média de 78 internamentos /mês; realiza 31 partos naturais e 08 cesarianas. Realiza cerca de 500 exames de raio x/mês. a unidade dispõe de 41 colaboradores destes são 15 enfermeiros assistenciais, 01 nutricionista, 02 farmacêuticos e 05 técnicos de farmácia, 04 enfermeiros distribuídos pelas coordenações (viep, ccih, cirúrgica e do serviço); afirma ter dois médicos e 02 enfermeiras na assistência de plantão por 24 horas. 


Após nova vistoria da unidade, para a apuração da referida denúncia, verificamos que várias não conformidades, apontadas em relatórios de inspeção anteriores, ainda persistem, bem como outras novas inconformidades foram identificadas, conforme relacionadas adiante, fato que justifica a impossibilidade da emissão do alvará sanitário, no momento. podendo, esta ser realizada após adequação dos itens pontuados neste relatório. 

Abaixo itens apontados:

* NÃO APRESENTOU A VISA/NRS- CENTRO LESTE/SERRINHA CÓPIA DOS SEGUINTES DOCUMENTOS:

* RELAÇÃO DOS SERVIÇOS TERCEIRIZADOS COM APRESENTAÇÃO DAS CÓPIAS DOS CONTRATOS TERCEIRIZADOS E SEUS ALVARÁS SANITÁRIOS;

* CERTIDÃO/CERTIFICADO DE REGULARIDADE DE PESSOA JURÍDICA JUNTO AO CONSELHO DE CLASSE ATUALIZADA;

* PLANO DE CONTINGÊNCIA CONTRA INCÊNDIO;

* MANUAIS E PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PADRÃO DOS DIVERSOS SETORES;
* CRONOGRAMA E REGISTRO DE LIMPEZA DO RESERVATÓRIO DE ÁGUA;

* CERTIDÃO/CERTIFICADO DE REGULARIDADE DOS RTS, JUNTO AO CONSELHO DE CLASSE, ATUALIZADA;

* RELAÇÃO DE SERVIÇOS E/OU SETORES E SEUS PROFISSIONAIS RESPONSÁVEIS POR TIPO DE ATIVIDADE INDICANDO ESPECIALIDADES E CARGOS;

* PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE SAÚDE, ATUALIZADO;
* PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E DE SAÚDE OCUPACIONAL DOS FUNCIONÁRIOS;

* PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (PPRA);
* ASSINATURA DE TERMO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA DOS RTS NA VISA;
* CRONOGRAMA E REGISTRO DE MANUTENÇÃO DOS TODOS OS EQUIPAMENTOS/APARELHOS;


* CRONOGRAMA E REGISTRO DE TREINAMENTO DOS FUNCIONÁRIOS;

* LEVANTAMENTO RADIOMÉTRICO DA SALA DE RAIO-X;

* TESTE DE CONFORMIDADE DO EQUIPAMENTO DE RAIO-X;

* OS TRÊS ÚLTIMOS LAUDOS DE DOSIMETRIA DOS FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO DE RADIODIAGNÓSTICO;

* CERTIFICADO DE DEDETIZAÇÃO, ATUALIZADO;

* CNES, ATUALIZADO;
* PORTARIA DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR, ATUALIZADA;

* PLANO DE GERENCIAMENTO DE TECNOLOGIAS. GERAL

* ALGUNS AMBIENTES COM SINAIS DE INFILTRAÇÃO E PINTURAS DESCASCADAS (NUTRIÇÃO, CME);

* ALGUNS MOBILIÁRIOS E MATERIAIS OXIDADOS;

* ALGUNS COLCHÕES RASGADOS;

* PRESENÇA DE ALMOTOLIAS SEM IDENTIFICAÇÃO, SEM TAMPA OU COM PRAZO DE VALIDADE EXPIRADO;

* AUSÊNCIA DE PAPEL TOALHA E DISPENSADOR DE SABÃO EM ALGUNS SANITÁRIOS, ASSIM COMO LIXEIRAS SEM TAMPA E PEDAL E NAS ENFERMARIAS OS DISPENSADORES DE SABÃO E PORTA PAPEL-TOALHA ESTAVA DESABASTECIDOS;

* AUSÊNCIA DE RALOS ESCAMOTEÁVEIS EM DIVERSOS SETORES;

* PIAS COM TORNEIRAS INADEQUADAS, PERMITINDO FECHAMENTO POR ACIONAMENTO MANUAL;

* NÃO HÁ BARRAS DE SEGURANÇA NOS LOCAIS RECOMENDADOS;

* NÃO POSSUI DML ADEQUADO.
* ALGUNS AMBIENTES COM FIAÇÃO EXPOSTA E/OU COM ESPELHOS DA TOMADA DANIFICADOS (LAVANDERIA);

* O NÚCLEO DE SEGURANÇA DO PACIENTE NÃO FOI IMPLANTADO;

* AS AÇÕES DO CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR NÃO ESTÃO SENDO REALIZADAS;

* ÁREA EXTERNA SUJA, DESORGANIZADA; COM VÁRIOS MATERIAIS INSERVÍVEIS OU SEM INSTALAÇÃO;

* NÃO REALIZA CHECK-LIST DOS EQUIPAMENTOS DO CENTRO CIRÚRGICO E EMERGÊNCIA;  ALGUNS BALDES DE LIXO SEM IDENTIFICAÇÃO, SEM TAMPA;

* SALA DE INALAÇÃO: DESATIVADA, FUNCIONANDO COMO ÁREA PARA ARMAZENAMENTO DE CARRINHO DE HIGIENIZAÇÃO, RECEPÇÃO /CONSULTÓRIOS/ SALA DE TRIAGEM;

* NÃO POSSUI PIA PARA LAVAGEM DE MÃOS;

* ALMOTOLIAS SEM IDENTIFICAÇÃO E SENDO MANTIDAS ABERTAS;

* EMERGÊNCIA CARRO DE EMERGÊNCIA INCOMPLETO;

* CHECK LIST INCONSISTENTE ENCONTRAMOS PRODUTOS COM PRAZO DE VALIDADE EXPIRADO; CME;

* ESTRUTURA FÍSICA NÃO ATENDE A RDC 50/02, COM FLUXO INADEQUADO;

* NÃO REALIZA TESTE QUÍMICO NEM BIOLÓGICO DA AUTOCLAVE;

* RÓTULOS COM INFORMAÇÕES INCOMPLETAS (VALIDADE, LOTE, ASSINATURA);

* FUNCIONÁRIA ÚNICA PARA AS DUAS ÁREAS SEM UTILIZAR EPI (AVENTAL IMPERMEÁVEL DE MANGA LONGA, LUVAS LONGAS E ÓCULOS);

* AUSÊNCIA DE ARMÁRIOS PARA OBJETOS DE USO PESSOAL;

* PRESENÇA DE OBJETOS ESTRANHOS AO SETOR;

* PRESENÇA DE VENTILADOR;


* AUSÊNCIA DE LIVROS DE REGISTROS;

* JANELAS SEM TELAMENTO, DIMINUIÇÃO DA LUMINOSIDADE COM SACO DE LIXO;


* FUNCIONARIA UTILIZANDO SANEANTES EM DESACORDO COM AS ORIENTAÇÕES DO FABRICANTE; FARMÁCIA;

* ÁREA SUBDIMENSIONADA; LIVROS DA PORTARIA 344/98 INCONSISTENTE (QUANTITATIVO REGISTRADO NÃO CONDIZENTE COM O EXISTENTE NA UNIDADE);

* MATERIAIS ACONDICIONADOS NO CHÃO/ENCOSTADOS DIRETAMENTE NA PAREDE, PRESENÇA DE ESTRADOS DE MADEIRA;

* JANELA ABAIXO DO AR-CONDICIONADO COM PRESENÇA DE MOFO;

* PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO, DESATUALIZADO;

* VÁRIOS PRODUTOS PARA SAÚDE COM PRAZO DE VALIDADE EXPIRADO ( SONDA URETRAL, CATETER DE OXIGÊNIO, TUBO ENDOTRAQUEAL, ROMPEDOR DE MEMBRANA AMINIOTICA);

* ARMÁRIO UTILIZADO PARA GUARDA DE MEDICAÇÕES SUJEITAS A CONTROLE ESPECIAL, ENCONTRA-SE COM VIDRO QUEBRADO;

* PIA COM DEFEITO;

* UTILIZANDO CAIXAS DE DIFÍCIL HIGIENIZAÇÃO (PAPELÃO) PARA ARMAZENAR PRODUTOS; 

* SALA CIRÚRGICO ÁREA SUBDIMENSIONADA E EM DESACORDO COM A LEGISLAÇÃO SANITÁRIA;

* ARMÁRIO UTILIZADO PARA GUARDA DE PERTENCES DE FUNCIONÁRIOS DISPOSTO PRÓXIMO A PIA DA ÁREA DE DEGERMAÇÃO DAS MÃOS;

* NÃO POSSUI CARRINHO DE EMERGÊNCIA;

* CAIXA DE MATERIAL DE EMERGÊNCIA NÃO ESTAVA ORGANIZADA;

* CARRINHO DE ANESTESIA NÃO ESTÁ FUNCIONANDO, ARMAZENANDO MEDICAMENTOS CONTROLADOS SEM LACRE;

* PRESENÇA DE MATERIAIS/MEDICAMENTOS COM DATA DE VALIDADE EXPIRADA ( 05 AMPOLAS DE ÁCIDO TANEXÂMICO-VAL. 04/19; 12 AMPOLAS DE EPINEFRINA-VAL 08/18; SONDA URETRAL);

* SALA DE PARTO E PRÉ PARTO MESA DE PARTO/ESCADINHA OXIDADAS;

* NÃO DISPÕE DE EQUIPAMENTO PARA FOTOTERAPIA;

* PAREDES COM INFILTRAÇÃO;

* MATERIAL DISPONIBILIZADO PARA USO, COM PRAZO DE VALIDADE EXPIRADO ( ROMPEDOR DE MEMBRANA AMINIÓTICA);

* BANHEIRO: AUSÊNCIA DE BARRAS DE PROTEÇÃO;

* ENFERMARIAS DISTANCIA ENTRE LEITOS EM DESACORDO COMA LEGISLAÇÃO SANITÁRIOS;

*  AUSÊNCIA DE PONTO DE OXIGÊNIO (PRESENÇA DO TORPEDO);

* ENFERMARIA CIRÚRGICA SEM BANHEIRO; AUSÊNCIA DE POLTRONAS PARA ACOMPANHANTES;

*  AUSÊNCIA DE ARMÁRIOS PARA PERTENCES DOS PACIENTES;

* AUSÊNCIA DE HAMPER;

* JANELAS SEM TELAS DE PROTEÇÃO CONTRA VETORES;

* COLCHÕES DANIFICADOS PEDIATRIA:

* UTILIZANDO SUPORTE DE SORO COMO VARAL PARA SECAGEM DE ROUPAS INTIMA;

* VASO SANITÁRIO SEM TAMPA;

* URGÊNCIA/EMERGÊNCIA CHECK-LIST DO CARRINHO DE EMERGÊNCIA, INCONSISTENTE ( MATERIAL COM PRAZO DE VALIDADE EXPIRADO) INSULINA ACONDICIONADA EM CAIXA TÉRMICA SEM REGISTRO DO CONTROLE DE TEMPERATURA;

* CONSULTÓRIO MÉDICO FUNCIONANDO DE FORMA IMPROVISADO NESSE SETOR ( ÁREA DE ATENDIMENTO DIVIDIDA POR BIOMBOS);

* UTILIZANDO DIVISÓRIA/CAIXAS DE PAPELÃO PARA SEGREGAR INSUMOS E MEDICAMENTOS;

* PACOTES DE GAZES SEM A DEVIDA IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO DE ESTERILIZAÇÃO ( DATA DO PROCESSAMENTO, VALIDADE, LOTE E RESPONSÁVEL PELO PROCESSO DE ESTERILIZAÇÃO);

* VÁRIOS PRODUTOS PARA SAÚDE COM PRAZO DE VALIDADE EXPIRADO, SENDO DISPONIBILIZADOS AO USO ( SONDAS URETRAL, CATETER DE OXIGÊNIO);

* APARELHO DE AR CONDICIONADO APRESENTANDO CONDENSAÇÃO INTENSA, PERMITINDO O GOTEJAMENTO DE ÁGUA SOBRE SUPERFÍCIE;

* BANCO QUEBRADO;

* SALA VERMELHA: DISPÕE DE CARRINHO DE EMERGÊNCIA INCOMPLETO, 01 DESFIBRILADOR NOVO E 01 RESPIRADOR EM DESUSO;

* ÁREA AINDA NÃO FOI ATIVADA PARA FUNCIONAR COMO SALA VERMELHA/ESTABILIZAÇÃO; 

* COLCHÃO SUJO; 

* MOBILIÁRIOS OXIDADOS;

* NÃO POSSUI ESCADINHA COM DOIS DEGRAUS NAS ENFERMARIAS;

* POSTO DE ENFERMAGEM DA ENFERMARIA (1) ARMÁRIOS DANIFICADOS E OXIDADOS;

* ÁREA SUBDIMENSIONADA POSTO DE ENFERMAGEM DA ENFERMARIA (2) (PERTO DO CENTRO CIRÚRGICO) PRONTUÁRIOS SEM PREENCHIMENTO ADEQUADO;

* ÁREA SUBDIMENSIONADA; SALA DE ECG SENDO COMPARTILHADA COM O SETOR DE REGULAÇÃO; 

* SALA DE RAIO-X SEM SINALIZAÇÃO ADEQUADA;

* COLETES PLUMBIFEROS ENCONTRAM-SE DANIFICADOS;

* BIOMBO DANIFICADO;

* MESA OXIDADA;

* CÂMARA ESCURA COM ASPECTO HIGIÊNICO INSATISFATÓRIO ( PISO);

* SETOR DE NUTRIÇÃO (ÁREA DE COCÇÃO) ÁREA FÍSICA NÃO ATENDE A RDC 50/ 02;

* TEMPERATURA MUITO ELEVADA NO INTERIOR DA COZINHA; PISO BASTANTE DANIFICADO, COM PRESENÇA DE PAPELÕES;

* EXAUSTOR SEM TELA E COM MUITO RESÍDUO GRUDADO; FREEZER APRESENTANDO FERRUGEM NO INTERIOR;

* ARMÁRIOS PARA UTENSÍLIOS COM PORTAS DANIFICADAS OU SEM PORTAS;

* PRESENÇA DE INSETOS;

* FLUXO TOTALMENTE IRREGULAR;

* NÃO ENCONTRADO BALCÃO TÉRMICO DE DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS;

* NÃO RETIRA AMOSTRA PARA CONTROLE;

* AUSÊNCIA DE DML (BALDES, VASSOURAS E PANO DE CHÃOS ARMAZENADOS NO CANTO DA PAREDE);

* PRESENÇA DE BOLSAS, TIPO MARMITAS, DENTRO DO REFRIGERADOR;

* JANELAS SEM TELAMENTO E COM VIDROS QUEBRADOS;

* NÃO TEM LACTÁRIO PARA MANIPULAÇÃO DE PRODUTOS LÁCTEOS;

* FUNCIONÁRIOS DA NUTRIÇÃO FAZENDO A HIGIENIZAÇÃO;

* PIAS SEM IDENTIFICAÇÃO;

* CAIXAS DE ALIMENTOS DEPOSITADAS DIRETAMENTE NO CHÃO;

* GELADEIRA SEM CONTROLE DE TEMPERATURA E CRONOGRAMA DE HIGIENIZAÇÃO NÃO DISPÕE DE MANUAL DE BOAS PRÁTICAS;

* FUNCIONÁRIOS TRABALHANDO SEM FARDAMENTO;

* NÃO DISPÕE DE REGISTROS DE TREINAMENTO PARA AS FUNCIONÁRIAS;

* NÃO POSSUI COIFA E EXAUSTOR;

* REFEITÓRIO: ÁREA SUBDIMENSIONADA E COM TEMPERATURA ELEVADA;

* LAVANDERIA NÃO POSSUI ÁREA ESPECIFICA PARA RECEBIMENTO DE ROUPA SUJA;

* NÃO POSSUI BALANÇA PARA PESAGEM DA ROUPA SUJA;

* FUNCIONÁRIO NÃO UTILIZA/DISPÕE DE AVENTAL DE MANGA LONGA;

* PRESENÇA DE PRODUTOS ESTRANHOS AO SETOR (BOLSA, SANDÁLIAS, CAIXAS DE PAPELÃO...);

* PRESENÇA DE UM CARRO DE TRANSPORTE DE ALIMENTOS (EM DESUSO) NESTA ÁREA;

* FIAÇÃO EXPOSTA;

* NÃO OFERTA MEIOS PARA HIGIENE DAS MÃOS DO FUNCIONÁRIO TRABALHAR NA ÁREA LIMPA;

* NÃO DISPONIBILIZA NORMAS E ROTINAS PADRONIZADAS DO SETOR;

* AS ROUPAS LIMPAS NÃO SÃO DISTRIBUÍDAS EM CARROS ESPECÍFICOS;

* MACA EM CORREDOR;

* O VESTIÁRIO DE BARREIRA USADO COMO DEPOSITO DE MATERIAL EM DESUSO;

* USO DE VASILHAME PARA MEDIÇÃO DE SANEANTES SEM A GRAMATURA;

* ROUPAS SECANDO NO VARAL;

* NECROTÉRIO SEM IDENTIFICAÇÃO;

* AUSÊNCIA DE SUPORTE E DA CAIXA DE PÉRFURO;

* NÃO OFERECE CONDIÇÕES PARA HIGIENE DAS MÃOS (TORNEIRA, SABÃO E PAPEL TOALHA);

* ABRIGO DE RESÍDUOS EM DESACORDO COM A RDC 50/02 E RDC 222/2018;

* CONTÊINER DE RESÍDUOS SIMPLES FORA DO ABRIGO DE RESÍDUO;

* MEDIDAS ADOTADAS ORIENTAÇÕES SANITÁRIAS FORAM FORNECIDAS DURANTE A INSPEÇÃO;

FOI EMITIDO RELATÓRIO TÉCNICO DE INSPEÇÃO E AUTO DE INFRAÇÃO;

* PARECER CONSIDERANDO QUE A UNIDADE HOSPITALAR APRESENTA NÃO CONFORMIDADES RELACIONADAS À ESTRUTURA FÍSICA, EQUIPAMENTOS, PROCEDIMENTOS TÉCNICOS OPERACIONAIS E DOCUMENTOS OS QUAIS PODEM INTERFERIR NA QUALIDADE DA ASSISTÊNCIA PRESTADA AOS USUÁRIOS DO SERVIÇO, BEM COMO PODE OFERECER RISCO OCUPACIONAL, SUGERIMOS INSTAURAÇÃO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO SANITÁRIO E MANTER PROCESSO EM PENDÊNCIA, MONITORANDO-O E SOMENTE LIBERAR O ALVARÁ SANITÁRIO APÓS A ADEQUAÇÃO DE TODOS OS ITENS PONTUADOS NESSE RELATÓRIO DE INSPEÇÃO.
FORAM TOTALIZADAS 136 INCONFORMIDADES.

PAIS E MÃES VITIMAS DO HOSPITAL MUNICIPAL DE ARACI, REALIZAM PROTESTO DE FRENTE A PREFEITURA

A Saúde pública, em especial a do Hospital Municipal Nossa Senhora da Conceição de Araci, Bahia, foi alvo de protesto nesta manhã de segunda feira dia 8 de abril de 2019, onde Pais e Mães, recentemente vítimas de negligencia medica, segundo a acusações dos mesmo, realizaram um grande ato de protesto de frente a Prefeitura Municipal.
Com cartazes nas mãos pedindo justiça e pedindo o afastamento da Secretária de Saúde, do Diretor do Hospital, do Medico e da Enfermeira, que segundo eles são responsáveis pelas mortes de Bebes recém nascido, filhos destes e por deixar uma jovem em estado vegetativo.
"Mataram meu filho em minha barriga e quase me mataram também", dizia a mãe aos prantos em choro relatando ao público que acompanhava cada depoimentos das mães e pais que tiveram seus filhos mortos, mutilado e que sofreram maus tratos no hospital municipal de Araci.
"Aqui está os documentos que comprovam que minha filha foi assassinada dentro do hospital por negligencia", afirmava um pai aflito pedindo justiça.
Informações e denuncias graves dão conta que o hospital de Araci está desde 2013 sem Alvará de licença sanitária, ou seja, 6 anos. mesmo sem alvará Independem de licença para funcionamento os estabelecimentos integrantes da Administração Pública ou por ela instituídos, ficando sujeitos, porém, às exigências pertinentes às instalações, aos equipamentos e à aparelhagem adequadas e à assistência e responsabilidade técnicas.
Licença Sanitária é um documento administrativo expedido pelo órgão competente de vigilância sanitária, o qual atesta que o estabelecimento possui condições operativas, físico-estruturais e sanitárias, concedendo o direito ao estabelecimento de desenvolver atividade.
VEJA OS VIDEOS DE TODOS OS DISCURSOS...
Depoimento de Marido da Jovem Adolescente que Ficou em estado Vegetativo após o parto.
Depoimento de Mãe que perdeu filho no parto.
Depoimento de Pai de criança morta no parto.
Depoimento de Papalo .
VEJA AS MATÉRIAS ANTERIORES...

PREFEITURA DE ARACI DEMITE PAI DE JOVEM QUE ESTÁ COM MULHER EM ESTADO VEGETATIVO POR CONTA DE PARTO REALIZADO NO HOSPITAL

As redes sociais estão falando as claras que a Prefeitura Municipal de Araci, através de uma ordem do prefeito Silva Neto demitiu o pai do jovem Gean, que está com a mulher em estado vegetativo.
Segundo as informações, já confirmado pelo jovem Gean, o pai dele já trabalhava como motorista, fazia linha de Pau de Abelha a Lagoa do Boi a mais de 12 anos como prestador de serviço na Prefeitura Municipal de Araci e foi demitido. 
Seria Perseguição? Retalhação pelo Jovem esposo esta buscando seus direitos junto a sua esposa que agora vegeta por conta do parto feito no hospital municipal de Araci?.
A família já estava passando necessidade.
Agora o prefeito quer que eles pensem fome.
Tudo isso pq o filho está pedindo seu direito. Ele tem direito!
A jovem Mirene está em estado vegetativo depois do parto no hospital de Araci. O jovem Gean nem pode trabalhar. Agora eles demitiram o pai do menino.
Isso é ditadura. É desumano!
Veja o texto das redes sociais...

A Prefeitura Municipal de Araci, através de uma ordem do prefeito Silva Neto demitiu o pai do jovem que está com a mulher em estado vegetativo.
Ele trabalhava a mais de 12 anos como prestador de serviço e foi demitido. 
Perseguição? Está na cara.
A família já estava passando necessidade.
 Agora o prefeito quer que eles pensem fome.
Tudo isso pq o filho está pedindo seu direito. Ele tem direito!
A jovem Mirene está em estado vegetativo depois do parto no hospital de Araci. O jovem Gean nem pode trabalhar. Agora eles demitiram o pai do menino.
Isso é ditadura. É desumano!
Senhor prefeito, você já tem dinheiro. Você nem em Araci mora. Que ódio é esse de Araci?
Fique logo em Feira de Santana e pare de perseguir o povo.

VEJA MATÉRIA ANTERIOR...

"Me ajudem, fiquei vegetativa depois de fazer meu parto no Hospital de Araci."

Mirene Santos da Silva e Gean Guimarães da Silva esperaram por seu filho com muita expectativa. Ambos sempre residiram na comunidade Pau de Abelha, região da Lagoa do Boi, zona rural de Araci. Na madrugada de 20 de julho de 2018, a jovem, que tinha 19 anos, deu entrada no Hospital Municipal Nossa Senhora da Conceição, em Araci, para o parto da criança. Nas mãos, eles levavam todo o histórico do pré-natal, realizado em clínicas particulares do município. Segundo a família, toda a documentação apontava para uma gravidez normal. Na manhã, o pai e a avó, Maria Luiza Jesus dos Santos, começaram a se preocupar. Uma funcionária teria pedido que a família pagasse por uma ultrassom particular para a jovem. Na sequência, eles perceberam correria na unidade hospitalar. Após horas, foram comunicados que a jovem seria transferida para Feira de Santana.

Segundo a mãe de Mirene, nos fundos do hospital, em uma ambulância e perdendo muito sangue, ela ouviu de sua filha:mãe, fica comigo e me ajuda, me judiaram muito“, disse a jovem. Já no Hospital Estadual da Criança, em Feira de Santana, a jovem teve uma parada respiratória de 10 minutos. Ela ficou 15 dias entubada, teve convulsão e findou em estado vegetativo, como mostram os relatórios médicos do hospital estadual.

Ela tinha útero invertido. Disseram que algumas mulheres tem isso e é normal. Mas insistiram no parto normal dela em Araci. O útero ficou retorcido e foi arrancado. Foi o que nos disseram em Feira. Ela perdeu muito sangue (…)“, disse Gean. A criança sobreviveu ao parto, não apresentou sequelas e hoje vive com o pai e a vó (mãe da jovem Mirene).

Apoio público e situação atual da família

A família retornou para Araci há 02 meses. A jovem permanece em estado vegetativo e precisa de remédios, apoio para alimentação e respiração. Segundo eles, após algumas semanas, a Prefeitura Municipal do município cedeu uma residência. “Nós lutamos muito por esse apoio porque temos que ficar em Araci para tratar de Mirene“, disseram. No entanto, eles afirmam que a residência não tem o suporte necessário para um paciente em estado vegetativo. “Ela precisa de ar-condicionado. No calor, tem convulsões. Mas a secretária de saúde se negou a fornecer. Tivemos que apelar para amigos“, afirmou.

A família ainda afirmou que não recebe 100% dos remédios que a jovem necessita no dia-a-dia. “A gente ainda tem remédios porque os médicos de Feira ajudaram. Ninguém aqui pode trabalhar. Minha sogra fica com o bebê e eu com minha esposa. Só vivemos do bolsa família. A gente vive de ajuda dos vizinhos e dos amigos. Precisamos de mais apoio da Prefeitura“, disse Gean. A mãe da jovem Maria Luiza, também destacou que sua filha precisa de apoio integral de um profissional de saúde e isso não foi fornecido pelo município.

Apoio jurídico à família

A família já estabeleceu um advogado para o caso, que confirmou todas as informações. Segundo o advogado, em sua visão, quando ela apresentou complicações no início do parto, o Hospital precisava ter transferido ou feito o parto cesáreo. “Houve insistência no parto normal. Já requeremos os relatórios médicos porque a família solicitou no Hospital de Araci e não teve êxito. Mas faremos de tudo por essa família. A médica em Feira de Santana solicitou home-care (atendimento domiciliar 24 horas), mas o município não está cumprindo“, afirmou. Ainda segundo o advogado, a família de Mirene só busca a verdade, por isso, a necessidade de o Hospital Municipal de Araci repassar os relatórios médicos. “É direito garantido para todo cidadão, conforme o artigo 5° da Constituição Federal. Ademais, esse direito é garantido, também, no artigo 88 do código de ética do médica“, finalizou.

Nota da Prefeitura Municipal de Araci

Segundo a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Araci, todo o suporte necessário para a família está sendo dado. “Eles estão sendo assistidos por um home-care (Anjos do Lar – fisioterapia, enfermagem, clínico geral, fonoaudiologia e nutrição), assim como a Assistência Social também está dando todo o suporte.  Avaliaremos quais as demandas que eles ainda têm e faremos o possível, no que nos couber ou for possível, para atendê-las”, disseram. Sobre a situação clínica da paciente, eles afirmaram que não houve negligência ou morosidade na transferência. “Ela foi assistida por profissionais a todo momento. O Hospital e seus profissionais lamentam o atual quadro clínico da jovem. Foi lançado mão de todas técnicas possíveis para minimizar as consequências do parto”, finalizaram.

Apoio de amigos e vizinhos

A família de Mirene não tem acesso a aposentadoria e dedica tempo integral para ela e o bebê. Não há aposentadoria de nenhum dos familiares. Eles recebem, constantemente, ajuda da população, liderança, políticos e de comunidades religiosas.

Você pode ajudar?

Entre em contato com Gean, marido da jovem: 75 9 9178-3236. Conta na Caixa Econômica Federal: Agência 4765 | Conta Poupança 17882-1 | Variação 013 | Gean Guimarães da Silva.

Hospital municipal de Araci está há 7 anos sem alvará de licença sanitária.








O Hospital de Araci-BA, está desde 2013 sem Alvará de licença sanitária, ou seja, 7 anos. mesmo sem alvará Independem de licença para funcionamento os estabelecimentos integrantes da Administração Pública ou por ela instituídos, ficando sujeitos, porém, às exigências pertinentes às instalações, aos equipamentos e à aparelhagem adequadas e à assistência e responsabilidade técnicas.

Licença Sanitária é um documento administrativo expedido pelo órgão competente de vigilância sanitária, o qual atesta que o estabelecimento possui condições operativas, físico-estruturais e sanitárias, concedendo o direito ao estabelecimento de desenvolver atividade.

Em contato com a DIRES, foi informado que a cada inspeção os técnicos encontram novas irregularidades e o alvará só pode ser dado quando estiver 100%.


Fizemos algumas perguntas:

O Hospital de Araci pode funcionar sem Alvará?

"As unidades públicas podem funcionar sem Alvará desde que atenda aos requisitos mínimos de responsabilidades técnicas e boas práticas. Foi concedido o prazo de 30 dias para adequar as demandas  notificadas."

Mas são 7 anos praticamente sem essa licença, qual o motivo de não conseguir?

"A cada inspeção os técnicos encontram novas irregularidades e o alvará só pode ser dado quando estiver 100%."

Quando foi emitido o último Alvará de licença sanitária para o Hospital de Araci?

"O ultimo alvará emitido foi em 2012."

E qual foi o posicionamento, deram mais prazo para readequação?

Foi contemplado algumas questões, mais não todas...Faltam 15 dias para esgotar o prazo.

Há risco à vida por conta da estrutura?

"Risco estrutural tem a a ver com o risco humano, tanto para os profissionais de saúde quanto aos pacientes, pois os equipamentos e questões estruturais precisam estar fazendo as devidas manutenções e monitoramentos em sua periodicidade."

Foram atendidos os prazos dados?

A ultima inspeção que a gente fez foi dia 26 de fevereiro, mas só foi assinada no dia 18 de março, contando assim um prazo de 30."

Todos os serviços podem funcionar normalmente sem licença?

"Alguns serviços sim, outros nós demos prazo para readequação."

Ainda há equipamentos que não atendem a legislação sanitária e que técnicos responsáveis não foram assinar o termo de responsabilidade.

Nossa equipe pediu acesso aos documentos das inspeções realizadas para saber quais eram essas exigências mínimas que permitiam o funcionamento do Hospital, bem como verificar na íntegra quais são as irregularidades apontadas. A DIRES se negou a disponibilizar os documentos alegando não serem públicos.

Prefeito Silva Neto autoriza USO DA UPA como HOSPITAL em Araci.

Um ano depois da Resolução que autoriza o USO DA UPA como HOSPITAL, o Prefeito resolve acatar as reivindicações populares.
Querem calar o povo, querem enrolar a população, a UPA hoje não passa de um prédio abandonado, onde novamente o dinheiro público vai para o ralo.

“URGENTE POVO DE ARACI”
Não podemos permitir que isso aconteça. Vejam:
(ponto de vista de um profissional da saúde que conhece a realidade da saúde de Araci)
A Gestão municipal de Araci, acaba de lançar no Diário Oficial do Município que irá transferir o Hospital Municipal para o prédio construído para abrigar a UPA de Araci. Se torna necessário avaliarmos as perdas que essa decisão irá causar para o povo da cidade. 
A decisão foi publicada por meio da “RESOLUÇÃO CMS Nº 002 DE 07 DE MARÇO DE 2019”  no D.O. do município no dia de hoje (28-03-2919). Transformar a UPA em hospital apagará a possibilidade de termos essa unidade em Araci, pois a função da UPA é de extrema importância visto que em nossa cidade acontece vários acidentes graves, principalmente de moto. Estes casos, dentre outros, deveriam ser atendidos na UPA por ser uma unidade de referência para esse tipo de atendimento. Lembrando que os recursos que seriam destinados para a UPA atenderia principalmente estes casos graves. Ao transformar a UPA em hospital o atendimento será limitado como o que já conhecemos no hospital em funcionamento. 
Para justificar a mudança o gestor alega que a estrutura onde se encontra o hospital não oferece condições necessárias para atender aos pacientes. Decisão tomada após a auditoria do SUS-Ba “...Que o Hospital Municipal de Nossa Senhora da Conceição possui sérias “Não conformidades” apontadas pela Auditoria SUS/Ba No. 3034, onde ficou provado que a Unidade do ponto de vista estrutural em nada atende a RDC 50/2002 e outras normativas legais, bem como que o Cenário semelhante ao descrito pelo setor de engenharia da FESF-SUS, foi declarado que o mesmo está inadequado para qualquer atividade humana...”.
O Hospital Nossa Senhora da Conceição passou, nos últimos anos, por varias reformas de melhoria em sua estrutura física, muito dinheiro foi gasto nestas reformas. Fica a pergunta: a Gestão Municipal não realizou estudo para saber a viabilidade de se fazer essas reformas? Após tantos gastos, em vez de se construir um novo hospital, que é o adequado, decidem transformar a nossa UPA em um hospital? Uma boa parcela da população de Araci, por não conhecer a importância de se ter uma UPA e quais são os seus objetivos, pode pensar que essa ideia seja a melhor para o município, mas não é, pode acreditar que não, e se tem dúvidas pode pesquisar e verá que realmente não é uma boa ideia. 
Nas campanhas de 2012 e 2016 o atual prefeito prometeu construir um novo hospital, em vez disso, depois de eleito, decidiu gastar na reforma do prédio onde fica atualmente o hospital.   
Nós queremos um novo HOSPITAL, mas não podemos perder nossa UPA, que tem que ser colocada em funcionamento. 
#queremosnossaupa
Advam Enfermeiro

Matérias anteriores sobre a saúde de Araci...

METADE (6/12) DOS PSF DE ARACI COMPLETAMENTE ABANDONADOS PELO PREFEITO,SILVA NETO.

Mais uma vez a nossa redação do Tribuna Sisaleira, recebe DENUNCIA dos leitores do nosso portal, a cerca do abandono da saúde em Araci em especial o destrato do que é publico, dos PSF´s, onde de 12 unidades, 6 estão em situação de total abandono a exemplo de: Serra Branca, Lajinha, Poço Grande, Várzea da Pedra, Matadouro e Lagoa do Boi. 
Ainda temos exemplos do PSF de Coqueiro, João vieira e Ribeira que estão sem médicos. A População que necessita destes espaço clama por socorro, já que  estes serviços deveriam servir a população, já que há anos as obras feitas com recursos público, dinheiro dos impostos dos cidadão,  deveriam ter sido concluídas e deveriam estar servindo aos munícipes de Araci estão nesta situação que mostra as fotos e videos aqui nesta matéria.
Hoje, a situação é caótica, a irresponsabilidade do gestor, prefeito de Araci é transparente e a população solicita a presenças dos órgão fiscalizadores (Vereadores, Ministérios Público Municipal, Estadual e Federal)  a se pronunciar e tomar providência e punir os culpados pelo ato de CRIME de má gestão e mal uso do dinheiro público.
A População clama por socorro, o povo de Araci não concorda com esta situação e pede providencias.

Denuncias de 2016...
Araci - PSF desativados, sem inaugurar, sem médicos e sem remédios.

A Prefeitura de Araci, através da Secretaria Municipal de Saúde, inaugurou várias unidades básica de saúde. Unidades conquistada desde o ano de 2010, junto ao Ministério da Saúde, que deveriam possuir infraestrutura que atendenda às normas preconizadas pelo Ministério e possibilitassem a execução de um trabalho seguro para os profissionais e para a população.
Más o que os olhos veem e que o povo sente é o contrário já que na sede de Araci e nos distritos e povoados, as unidades tem dificuldades e não  funciona como deveria.
O poder prefeito Silva Neto e da vice Keinha, são alvos diariamente por parte da população e de representantes do Legislativo de críticas, denuncias e inquietações do estado em que se encontra os PSF’s.
O PSF dos bairros de Riacho e Guarani, em Araci, foram inaugurados e segundo a Prefeitura, a unidade construída sobre novo modelo do Ministério da Saúde, possui infraestrutura que atende às normas preconizadas pelo Ministério e possibilita a execução de um trabalho seguro para os profissionais e para a população. Esta informação não procede, assim como não é real, já que a falta de médicos e medicamentos não asseguram aos moradores destes bairros a  oferta e as melhores condições possíveis ao atendimento.
O que é PSF?
O Ministério da Saúde criou, em 1994, o Programa Saúde da Família (PSF). Seu principal propósito: reorganizar a prática da atenção à saúde em novas bases e substituir o modelo tradicional, levando a saúde para mais perto da família e, com isso, melhorar a qualidade de vida dos brasileiros.
A estratégia do PSF prioriza as ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde das pessoas, de forma integral e contínua. O atendimento é prestado na unidade básica de saúde ou no domicílio, pelos profissionais (médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e agentes comunitários de saúde) que compõem as equipes de Saúde da Família. Assim, esses profissionais e a população acompanhada criam vínculos de co-responsabilidade, o que facilita a identificação e o atendimento aos problema de saúde da comunidade.
Diante dos ótimos resultados já alcançados, o Ministério da Saúde está estimulando a ampliação do número de equipes de Saúde da Família no Brasil. E, para isso, é fundamental a mobilização das comunidades e dos prefeitos, pois só por intermédio deles as portas dos municípios se abrirão para a saúde entrar.
Um dos bairros mais tradicionais da cidade de Araci está tendo uma atenção especial com relação saúde. Trata-se do bairro São João, conhecido também por Matadouro, que tem recebido as obras da unidade dupla de PSF e que até este momento não disfruta de um ambiente confortável e adequado às necessidades do bairro e região, está a obra abandonada, sem conclusão, sem inauguração.
A construção é fruto de uma parceria com o Governo Federal, através do Ministério da Saúde, que prevê a construção de 12 novas unidades básicas de saúde em bairros e povoados do município. No bairro São João a obra custará em torno de R$ 512.000,00 (quinhentos e doze mil reais), que irão gerar mais saúde à população local e, ao mesmo tempo, geração de emprego e renda durante sua construção e até mesmo em seu funcionamento.
Você sabia que o direito a saúde é um item contido na constituição e que visa garantir o acesso aos serviços básicos de saúde a todos os cidadãos de forma igualitária e sem distinções?.
Ao Estado são imputadas obrigações que vão desde o atendimento médico mais básico ao cidadão como uma simples consulta e vão até mesmo procedimentos médicos de alta complexidade e fornecimento gratuito de medicamentos e insumos de tratamento.
Segundo a Constituição: "Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução dos riscos de doença e de outros agravos e o acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação".
UBS, PSF E CENTROS DE SAÚDE PRÓXIMOS

Veja o Vídeodo PSF de Poço Grande